5 coisas que mudaram no Corinthians desde a eliminação para a Ponte em 2012

Corinthians e Ponte Preta se enfrentam na tarde deste sábado (16h20), na Arena Corinthians, em partida válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista. Ao longo da história, os dois adversários protagonizaram grandes embates. Um dos mais recentes ocorreu pela mesma fase do Estadual na edição de 2012. Atuando no Pacaembu, o Timão sofreu derrota por 3 a 2 e foi eliminado da competição. A partir do duro revés, o clube passou por algumas transformações.

LEIA MAIS:
Tite confirma Corinthians contra a Ponte Preta; confira a escalação
Nova arena e paixão impulsionam o programa de sócio-torcedor do Corinthians

Confira abaixo 5 coisas que mudaram no Timão desde a eliminação

1 – Saída do goleiro irregular Julio César e a entrada do futuro ídolo Cássio: Esse é o caso mais emblemático. Após falhar em dois dos três gols da Macaca, Julio César, que já não contava com a simpatia da maior parte da torcida corintiana, foi barrado pelo técnico Tite. Recém-contratado, o pouco conhecido Cássio assumiu a meta e demorou pouco tempo para cravar seu nome na história centenária do Timão. Estreou contra o Emelec, em Guayaquil, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, e logo de cara se destacou com grandes defesas. O torcedor jamais se esquecerá da sua defesa monumental em chute de Diego Souza, do Vasco, na fase seguinte da competição sul-americana. O gigante de 1,95 m foi um dos heróis na inédita conquista da Libertadores de 2012 e do Mundial de Clubes no mesmo ano. Jamais perdeu o posto de titular. Só ficou de fora devido a suspensão ou lesões.

2 – O antes e depois de Tite: O treinador tinha uma filosofia de trabalho na segunda passagem pelo Corinthians (2010 a 2013). Ele reassumiu a equipe em janeiro de 2015, após uma temporada de estudos na Europa. Antes taxado de pragmático, o gaúcho mudou a sua proposta de jogo. Hoje, o Corinthians não se destaca apenas pelo forte sistema defensivo. Além de se defender bem, pratica um futebol ofensivo. Até os rivais se renderam…

3 – Arena Corinthians – Pouco mais de um ano após a eliminação pela Ponte Preta, o clube inaugurou a sua moderna Arena, onde tem se mostrado um mandante indigesto. Em 30 jogos no caldeirão, foram 22 vitórias, sete empates e apenas uma derrota, justamente contra o Figueirense na inauguração do estádio. Nem no Pacaembu, antiga casa, a equipe tinha um aproveitamento tão interessante. Pela primeira vez, os campineiros vão atuar em Itaquera.

4 – Fim do trauma Libertadores – O Corinthians sepultou em 2012 o trauma da Libertadores e acabou com a série de piadinhas dos rivais. Com a eliminação precoce no Estadual, pôde se dedicar exclusivamente a competição.  Até o ano da inédita conquista sul-americana, o time não tinha as “manhas”, era presa fácil no mata-mata, ou seja, era popularmente chamado de amarelão. Hoje, o Timão é um dos rivais mais respeitados do continente e muito difícil de ser batido tanto dentro quanto fora de seus domínios.

5 – Dificuldades financeiras – Nem tudo foi positivo. Se em 2012, o clube vivia um momento financeiro favorável, com várias fontes de receita, agora atravessa uma fase econômica ruim com enormes dívidas. Vários jogadores do elenco estão com direitos de imagem atrasados. O problema financeiro é global. Empresas diminuíram investimentos em patrocínio no futebol. Hoje, apenas a Caixa Econômica estampa a sua marca na camisa alvinegra. No início do ano, o Timão perdeu os patrocínios da FISK, rede de escola de idiomas, e da Car System, que fabrica alarmes automotivos. Para piorar, a renda com bilheteria da Arena não vai diretamente aos cofres do Corinthians. É repassada ao fundo que administra o estádio para o pagamento dos custos da obra.

Foto: Reprodução Youtube



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)