Réver minimiza quantidade de gols sofridos pelo Inter e afirma que defesa está se acertando

Getty Images

De todas as estatísticas desses primeiros meses de futebol, o Inter pode se “vangloriar” de estar se destacando em uma delas. Negativamente, pelo menos: o time gaúcho é um dos quatro que mais sofreu gols na edição deste ano da Libertadores e um dos times brasileiros, no geral, que mais vezes foi vazado até agora.

LEIA MAIS:
Opinião: Inter venceu, mas levou baile tático do Emelec-EQU. Situação geral preocupa

Somente na competição continental, o Inter sofreu seis gols, em três jogos, sendo metade deles no Beira-Rio. Já no Gaúchão, a equipe comandada por Diego Aguirre foi buscar as bolas no fundo das redes em sete ocasiões, sendo quatro delas em apenas um jogo, o empate em 4 a 4 com o São José/RS, na segunda rodada.

O zagueiro Réver, recém-chegado, explicou em coletiva no fim da tarde de quinta-feira (5), que tais números são preocupantes, de fato, mas é uma situação contornável, já que a equipe está em começo de temporada e a defesa, tradicionalmente, é um setor que demora um pouco mais para se acertar, em comparação ao restante das posições.

“Nós sabemos que podemos melhorar, mas também sabemos que não é tão simples assim. É um dos setores mais complicados para se acertar, qualquer erro vira crucial. Temos errado bastante, mas os gols lá na frente estão saindo e o resultado fica favorável. As cobranças não acontecem só aí fora, mas também aqui dentro”, disse o defensor.

Autor do gol salvador da equipe Colorada, na última quarta-feira (4), pela Libertadores, Réver também fez questão de rechaçar qualquer culpa dos volantes no desempenho da defesa. Na visão do zagueiro, as situações de jogo variam e, contra o Emelec-EQU, aconteceu de o time sair muito para o ataque e deixar a defesa um pouco desguarnecida, mas foi uma casualidade.

“Temos que lidar com o fato de sermos uma equipe com poder ofensivo forte. No segundo tempo (contra o Emelec-EQU), nós acabamos propondo uma maneira de jogo em que o setor defensivo ficou no mano a mano, mas acabamos anulando isso. Não levamos gol no segundo tempo”, avaliou Réver.

Contratado no início do ano junto ao Atlético-MG, Réver assumiu a titularidade na terceira rodada do Gaúchão e só não entra em campo entre os onze quando é poupado por Diego Aguirre. Alan Costa, Ernando e Paulão acabam tendo de brigar pela segunda vaga que resta.

Foto: Getty Images



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...