Opinião: Saída de Enderson foi exemplo de falta de profissionalismo no Santos

Santos

Independente de concordar ou não com a demissão de Enderson Moreira, o torcedor santista tem de ficar preocupado com a falta de profissionalismo da diretoria comandada por Modesto Roma.

LEIA MAIS
Saiba os três motivos que tiraram Enderson Moreira do Santos
Santos dispensa o técnico Enderson Moreira, diz jornalista

O presidente santista esperou o agora ex-técnico santista comandar um treinamento coletivo na manhã desta quinta-feira e ainda conceder entrevista coletiva para falar sobre a partida contra o Botafogo, pelo Paulistão, para só então sacramentar a demissão.

Faltou sensibilidade à diretoria na condução do negócio. Se já tinha definido que a passagem de Enderson pelo clube chegaria ao fim nesta quinta, não era de bom tom deixar o treinador ser sabatinado sobre o momento do clube.

A verdade é que o técnico, que tem futuro promissor pois entende de futebol e consegue armar times com as peças que têm à disposição, nunca foi o sonho de consumo de Modesto Roma.

Assim que assumiu a presidência do Santos, o dirigente trabalhou com outros nomes e só não trocou o comando por conta da multa rescisória e pela falta de opções no mercado. Manter Enderson foi a alternativa mais viável.

O treinador comandou o clube por 30 jogos, com 16 vitórias, cinco empates e nove derrotas, com aproveitamento de 58,9% dos pontos disputados. Números razoáveis, com destaque para a campanha na Copa do Brasil do ano passado.

Apesar do desempenho aceitável, a relação com os jovens jogadores nunca foi boa e isso pesou para Modesto decidir trocar de técnico.



Editor senior do Torcedores.com, o jornalista formou-se na Universidade Metodista em 2009 e passou pelas redações do Diário do Grande ABC, Agora SP, UOL e Fox Sports, onde fez a cobertura da Copa do Mundo de 2014. Está no Torcedores desde outubro de 2014.