Ernando tem desempenho discreto na lateral, mas Aguirre aprova: “fez de tudo para ajudar”

Getty Images

O Inter perdeu para o Juventude, em Caxias, no domingo, em jogo válido pela nona rodada do Gaúchão, caiu para a oitava posição na classificação, deixou de ser invicto e viu seu time misto falhar. Na verdade, nem todo o time. O improvisado zagueiro Ernando, que “quebrou um galho” na lateral-direita, acredita que teve um desempenho satisfatório. Aguirre concorda e até pensa em utilizá-lo por ali na Libertadores.

LEIA MAIS:
“Faltou um pouquinho de garra”, diz Jorge Henrique, após derrota do Inter em Caxias

“Não era algo novo para o Ernando. Ele cumpriu e fez de tudo para ajudar o time. É uma alternativa”, ponderou o treinador. Apesar de contar com laterais legítimos no elenco, Aguirre preferiu improvisar o zagueiro, do que escalar o jovem Cláudio Winck, lateral-direito de origem.

“Minha posição é zagueiro. Fiz a posição que o Diego Aguirre queria experimentar e, dentro do que ele pediu, acho que contribuí”, avalia o otimista Ernando, que não teve estatísticas tão favoráveis assim. Segundo o site Footstats, o defensor fez apenas dois cruzamentos ao longo de toda a partida, ambos errados.

Outro aspecto que mostra a atuação discreta de Ernando foram os dribles executados, apenas um, e os lançamentos feitos, somente dois, e assim como os cruzamentos, os dois errados. Nem mesmo é possível argumentar que os números irrisórios são fruto de uma atuação mais defensiva do atleta, já que ele não fez sequer uma falta no adversário ao longo da partida, demonstrando que não teve tanto trabalho por lá.

“Sabemos que temos que ter um melhor posicionamento defensivo e marcar melhor. Eu quero estar entre os 11. Se precisar de mim para ajudar vou estar à disposição”, argumentou, reconhecendo que o time, como um todo, não foi tão bem na Serra Gaúcha, e isso influenciou seu rendimento.

Ernando está em sua segunda temporada pelo Inter. Contratado junto ao Goiás, no final de 2013, o jogador foi titular durante todo o ano de 2014, sob o comando de Abel Braga. Não chegou a ser improvisado nenhuma vez, mas depois desta primeira experiência, Aguirre cogita utilizá-lo em outros jogos do Gaúchão e até contra o Emelec-EQU. “Ainda não posso falar do jogo do Equador, faltam 10 dias”, despistou o uruguaio, que tem escalado Léo como titular da posição.

Foto: Getty Images



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...