Demissões do últimos 5 técnicos do Santos mostram que é difícil agradar. Veja os motivos:

Getty Images

O Santos divulgou na última quinta-feira a demissão do técnico Enderson Moreira. Nos últimos seis anos, o clube trocou de técnicos 12 vezes. Considerando que Muricy Ramalho permaneceu por 2 anos, pode-se considerar essa média altíssima.

LEIA MAIS
Enquete: Quem deve ser o novo treinador do Santos?
Robinho critica “juvenis” do elenco e diz que grupo não comemorou demissão de Enderson
Enderson credita saída do Santos a pressão de conselheiros

Podemos analisar um breve histórico de demissões e contratações do Peixe, a partir da inserção de Adilson Batista, em novembro de 2010. O técnico comandou o time por apenas 11 partidas, onde obteve 5 empates, 5 vitórias e 1 derrota. Adilson não conseguiu “cair na graça” da torcida, e foi criticado por não explorar o potencial da base.

Seu sucessor foi Muricy Ramalho em abril de 2011. Na ocasião, ajudou o clube a sagrar-se bicampeão paulista, tri da Libertadores e vice-campeão mundial. Em 2012, liderou o Santos na conquista do tricampeonato paulista e no título da Recopa Sul-Americana. Em 2013 foi vice-campeão paulista. Ao todo, liderou o Santos em 150 jogos, alcançando 72 vitórias, 42 empates e 36 derrotas. Foi demitido logo após a saída de Neymar.

Claudinei de Oliveira foi o substituto de Muricy. Entrou no comando do Santos na terceira rodada do Brasileirão de 2013, e foi demitido após o término no campeonato, deixando o clube na sétima posição. A maioria dos torcedores e a diretoria desaprovaram o trabalho de Claudinei porque ele ignorou o DNA ofensivo do Santos e apostou em medalhões ao invés de olhar mais para a base.

Logo na sequência, Oswaldo de Oliveira passou a dirigir o elenco, e em 44 oportunidades, foram 25 vitórias, 9 empates e 10 derrotas. Em 2014, ele chegou ao vice-campeonato Paulista e deixou o Alvinegro nas oitavas de final da Copa do Brasil e na 11ª colocação do Campeonato Brasileiro.Em entrevista a Fox Sports nessa segunda-feira (2) afirmou que até hoje não entende o motivo da sua demissão, e que a escalação de Leandro Damião tinha influências externas. 

Por fim, mesmo na liderança do Grupo D do Campeonato Paulista, o Santos optou nesta quinta-feira pela demissão do técnico Enderson Moreira, que estava no cargo desde setembro de 2014. O treinador deu o treinamento durante a manhã. Após entrevista coletiva foi divulgada sua demissão. Acredite-se que o motivo de sua saída foi o mau relacionamento com alguns atletas, como jovens jogadores e líderes do elenco, e declarações sobre direito de imagem atrasados.

Oswaldo não teve aprovação por não escalar “estrela”, Enderson por não escalar a base. Como, afinal agradar o Santos FC?



Estudante de jornalismo na Umesp, e de futebol na Universidade do Futebol. Trabalha na rádio Jovem Pan, no programa \"No Mundo da Bola\". Fez algumas participações comentando sobre futebol na rádio Bradesco Esportes FM. Apaixonada e viciada em tudo o que acontece no mundo da bola; dentro e fora das quatro linhas!