Atlético e Cruzeiro empatam pela quarta vez no estadual, mas alvinegros garantem invencibilidade

Cruzeiro x Atlético-MG, no Mineirão, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro de 2015. © Washington Alves/Light Press

Atlético e Cruzeiro não saíram do 1 a 1 no clássico deste domingo, no Mineirão. Em jogo marcado pelos desfalques de um dos lados e pressão por melhor futebol, os rivais de Minas Gerais completaram o quarto duelo pelo Campeonato Mineiro que termina empatado.

Melhor, com o resultado final, para o Atlético, que sofreu com desfalques importantes e completou o nono jogo seguido sem derrota para o maior rival, mantendo, assim, a hegemonia recente no principal confronto mineiro.

A última derrota alvinegra foi em 2013, no primeiro turno do Brasileirão de 2013, quando os reservas do Atlético foram derrotados por 4 a 1 pelo rival. Na ocasião, o alvinegro mineiro vinha de comemoração do título da Libertadores, conquistado quatro dias antes.

Desde então, são cinco triunfos do Atlético e quatro empates e mais de um ano e sete meses sem perder para o clube celeste, comprovando a hegemonia atual do Galo.

Já pelo Campeonato Mineiro, o duelo deste domingo foi o quarto seguido a terminar empatado. Em 2014, os três encontros entre Atlético e Cruzeiro ficaram no 0 a 0, com o título estadual sendo conquistado pela Raposa.

Neste domingo, o clássico foi marcado pela pressão em cima dos dois times, que seguem devendo melhores atuações em 2015. O Cruzeiro foi o mandante e teve a presença de quase todos os torcedores presentes. Apenas pouco mais de mil atleticanos estiveram no Mineirão.

Em campo, o Atlético chegou para o duelo abalado pelos desfalques. O time não teve titulares importantes, como Leonardo Silva, Marcos Rocha, Dátolo e Lucas Pratto.

O Cruzeiro foi escalado por Marcelo Oliveira com o que tinha de melhor, com a mesma formação que não saiu do 0 a 0 com o Huracán, na terça-feira, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores, também no Mineirão.

O clássico teve ritmo lento e foi bastante morno, com os dois times apresentando atuação sem brilho coletivo e individual. O Cruzeiro teve mais posse de bola, mas não conseguiu ser efetivo no ataque. O Atlético apostou no que tem de melhor, atuar no contra-ataque, mas teve poucas oportunidades de gols.

O Atlético saiu na frente, aos 28 minutos, Fábio recebeu recuo de bola e ao dar chutão, acertou as costas do lateral direito atleticano Patric. O jogador, mesmo sem querer, deu bela assistência para Rafael Carioca, livre, deixar a sua marca. O lance foi bastante inusitado e gerou gozações por parte da torcida do Galo.

Porém, já na reta final da partida, mais ofensivo, o Cruzeiro aproveitou falha do sistema defensivo atleticano, que não conseguiu segurar Leandro Damião, que deixou a sua marca. O camisa nove confirmou a sua boa fase com a camisa da Raposa.



Jornalista, foi repórter do UOL Esporte por sete anos, nos últimos quatro, como setorista do Atlético-MG. Cobriu também Cruzeiro, vôlei, UFC, natação. Formado pela Newton Paiva, é colaborador em Belo Horizonte do Torcedores.com