Opinião: A jogada de endomarketing da CBF

Reprodução/CBF

A diretoria da CBF aposta em figuras de destaque do passado com a seleção brasileira para motivar e criar ambiente positivo em busca do resgate do orgulho e do respeito de vestir a camisa canarinho.

LEIA MAIS
Jairzinho será auxiliar técnico de Dunga na seleção brasileira
Neymar e P. Coutinho são aprovados, mas Robinho e Souza estão em baixa no time de Dunga
Dunga rasga elogios a Robinho e diz que observa Kaká e Felipe Melo

Se a imagem de dentro para fora transpareceu amadora com uma escolha de comissão técnica sem experiência necessária com Dunga e Gilmar Rinaldi, principalmente o segundo sob contestações pelo seu passado como empresário, a CBF não se mostra muito preocupada com uma impressão e continua seguindo a mesma linha de conduta.

Os primeiros resultados nos amistosos mostram um trabalho de renovação esperado.  Internamente a diretoria de seleções tem feito algumas ações que o torcedor não percebe.

Está bem claro que há no projeto o ponto chave de resgatar a união, a história, o lado vencedor e coletivo que a seleção brasileira teve no passado. Basta notar que a cada convocação há um ex-jogador como “auxiliar pontual” de Dunga. Foi assim com Mauro Silva, Oscar Bernardi, Edu, e agora Jairzinho, “furacão” da Copa de 1970.

O trabalho feito pela gestora do time canarinho nada mais se assemelha a um tratamento de choque de “endomarketing” de uma empresa. É trazer para dentro do ambiente de trabalho histórias de motivação, vitórias, experiências, tocando no coração dos próprios funcionários – neste caso os jogadores, colocando tudo em prol do coletivo para atingir o equilíbrio, algo que passou longe do time comandado pelo mesmo Dunga, na Copa de 2010.

Medida certa ou errada para um esporte que não tem lógica, o fato é que apesar da importância dos ídolos como referência, isto passa longe de ser a verdadeira solução para evitar novos vexames internacionais no futebol moderno. No fim das contas, a história não ganha o jogo.

Crédito da foto: Reprodução/CBF



Jornalista Esportivo com experiências em multimídias formado pela UNESA-RJ, entrou para o mundo do marketing esportivo em 2011, passando por PGE, Sportlink, Ibope Repucom até fundar a agência GMA Brasil no Rio de Janeiro, realizando o case "Arena C30" em 2013 . Em 2014 tornou-se mestre em Marketing pelo IAG, a Escola de Negócios da PUC-RJ.