Zaga do Palmeiras se corrige e consegue bons números no Paulistão

No início do Estadual, parecia que Oswaldo de Oliveira teria uma grande dor de cabeça na montagem da zaga. Após três partidas sem levar gols, parece que o setor foi acertado.

LEIA MAIS:
Oswaldo testa Arouca no lugar de Alan Patrick

Clássico em casa contra o principal rival. Uma recuada mal feita e pronto! Tudo veio abaixo. O time que era sensação das contratações acabou sendo muito criticado por erros grosseiros no seu setor defensivo.

A derrota para o Corinthians trouxe muitas marcas negativas, mas também trouxe muita experiência. Desde o fatídio dia para os palmeirenses, o time não tomou mais gols. E já se passaram três partidas (3 a 0 sobre o Rio Claro, 1 a 0 contra o São Bento e 2 a 0 diante do Penapolense).

Mas qual o segredo para essa reviravolta? O zagueiro Vitor Hugo, vilão do clássico, explica. “O time está bem fechado. Pode parecer que um volante vai deixar mais aberto, mas o Gabriel caça demais, facilita. Busca, busca e, quando a bola chega, vem mascada, dividida. Além disso, o Robinho recompõe bem, fecha duas linhas. É difícil os caras entrarem”, comentou.

O volante, que veio de graça do Botafogo-RJ, foi o melhor jogador na questão desarme do Brasileiro no ano passado. Os números chamaram a atenção da diretoria palmeirense, que negociou e concretizou a negociação.



Thiago Gomes é Administrador de Empresas. Trabalha com estratégias digitais e consultoria de e-commerce. É palmeirense e um apreciador do futebol, tanto nacional quanto internacional. Escreve para site esportivo desde 1996.