Se vencer o Danubio-URU, Muricy Ramalho chegará a 250ª vitória pelo São Paulo

A partida contra o Danubio-URU, válida pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores 2015, vale muito mais do que os três pontos e a recuperação do revés contra o Corinthians, para o técnico Muricy Ramalho. Caso o time vença o adversário, será a vitória de número 250 do treinador no comando do São Paulo.

LEIA MAIS:
Histórico positivo contra uruguaios é trunfo do São Paulo para o jogo desta quarta-feira
Ataque é problema de Muricy para montar o São Paulo

Segundo técnico que mais vezes dirigiu a equipe na história, atrás apenas de Vicente Feola, Muricy Ramalho treinou o São Paulo pela primeira vez em 1994, em um jogo contra o Santo André. Na época, o comandante ganhou a oportunidade de Telê Santana, logo após a conquista do bi-mundial, no ano anterior.

Mestre de Muricy, conforme o próprio técnico são paulino diz, Telê permitiu que o jovem treinador desse seus primeiros passos na profissão com um time formado apenas por revelações da base Tricolor, equipe esta que ficou conhecida como “Expressinho”. Nela jogavam Rogério Ceni, Juninho Paulista, Denílson e Caio Ribeiro. Logo de cara, Muricy Ramalho já conquistou o título da Copa Conmebol, com direito à eliminação ao grande rival, Corinthians, na semifinal.

De lá para cá, Muricy saiu e voltou ao comando técnico do São Paulo duas vezes. A primeira em 2006, para conquistar o tri-campeonato brasileiro consecutivo e a segunda em 2013, para ajudar a tirar o time da zona de rebaixamento no Brasileirão. No total, Muricy Ramalho dirigiu a equipe em 462 jogos, tendo conseguido 249 vitórias, 122 empates e 91 derrotas, um aproveitamento de 63% dos pontos.

São paulino declarado e ex-jogador do clube, Muricy Ramalho é um dos maiores ídolos da história Tricolor e um dos poucos técnicos que pode se vangloriar de ter atingido esse status.

Apesar de, atualmente, ter seu trabalho questionado, o comandante notabilizou-se pela dedicação ferrenha ao trabalho, simbolizada pelas frases de efeito e pelo gesto de bater no braço, quando consegue uma vitória importante. Algo que pode – e deve – ser feito esta noite, no Morumbi.

Foto: Divulgação / São Paulo FC



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...