Em busca do mesmo sonho, caçula da A-2 impede Guarani de entrar no G4

Guarani

A tradicional Rua Javari, na Moóca, casa do Juventus, viveu no último sábado um encontro de duas torcidas apaixonadas por seus times, porém com histórias diferentes.

O Esporte Clube Água Santa, de Diadema, conhecido nas divisões inferiores do Estado de São Paulo pelo apoio fervoroso de sua torcida, recebeu o tradicionalíssimo Guarani Futebol Clube, alviverde campineiro que está bem longe de seus grande momentos.

LEIA MAIS:
União São João paralisa atividades e culpa juiz da Máfia do Apito de 2005 por quedas
Energia cai em estádio e jogo da Série A2 do Paulistão não é transmitido até o final

Válida pela sexta rodada do Campeonato Paulista da Série A-2 (equivalente à segunda divisão estadual), a partida teve seu local alterado devido à não liberação do Estádio Distrital do Inamar, em Diadema, casa do Água Santa.

O confronto colocou frente a frente uma equipe em ascensão nos últimos anos, com dois acessos consecutivos na bagagem e um ex-Campeão Brasileiro, muito aquém dos velhos tempos.

ASCENSÃO METEÓRICA –  o Esporte Clube Água Santa foi fundado em 1981 na Cidade de Diadema, Grande São Paulo, onde por trinta anos, disputou apenas competições amadoras.

Em 2011 ocorreu a profissionalização do futebol do Água Santa, que se preparava para sua estreia no Campeonato Paulista da Série B (equivalente à quarta divisão estadual) no ano seguinte. Porém, a primeira partida em uma competição oficial profissional ocorreu em 2013, com uma vitória fora de casa contra o Esporte Clube São Bernardo.

Era o início de uma campanha vencedora, que levou o clube de Diadema ao vice-campeonato e, consequentemente, à Série A-3 em 2014. E não pára por aí. Com outra bela campanha, o Água Santa credenciou-se para a disputa da Série A-2 em 2015.

O JOGO – As equipes fizeram um jogo muito tático  no primeiro tempo, com poucos momentos de perigo para ambos os goleiros. O Guarani demonstrou mais qualidade na marcação com os experientes Cambará no meio de campo e Cris, na defesa.

À frente, Fumagalli tentava acionar o atacante Nunes, sempre bem marcado pela zaga “azul e branca”. Já o Água Santa levou um pouco mais de perigo ao Guarani pela lateral esquerda, sem grandes intervenções do goleiro Neneca.

No segundo tempo a entrada de Pitbull no Bugre deu mais mobilidade ao ataque campineiro, mas quem levava a melhor era sempre o Água Santa.

Aos 37 minutos, quando  jogo se encaminhava para um desfecho sem gols, a equipe de Diadema aproveitou uma bola perdida por Nunes em jogada questionada pelo Guarani. Com certa facilidade, Tiago Cavalcanti encontrou Rafael Martins  que recebeu o passe quase na pequena área para fazer o único gol da partida e decretar a vitória do Água Santa.

A equipe de Diadema agora entra de vez na briga por uma vaga no G4 e impede o Guarani de se aproximar do grupo de acesso.

Foto: Reprodução/Facebook