Cleiton Xavier pode ter estreia adiada no Palmeiras; Entenda!

Cleiton Xavier
César Greco

Pode não ser contra o Vitória da Conquista, no próximo dia 4, pela Copa do Brasil, que o torcedor palmeirense matará a saudades do agora camisa 8 do Verdão, Cleiton Xavier. A documentação necessária para a estreia do jogador ainda não está regularizada.

LEIA MAIS
Gabriel dá prazo para Palmeiras se entrosar
Defesa do Palmeiras está próxima de igualar sequência positiva

Até mesmo a apresentação oficial de Cleiton Xavier ainda não tem data marcada. Todo esse imbróglio acontece por conta da demora de seu antigo clube, o Metalist (UCR), enviar o CTI (Certificado de Transferência Internacional) ao Palmeiras. O clube alviverde, inclusive, perdeu a chance de inscrever o jogador na primeira fase do Paulistão justamente pela falta deste documento.

O Palmeiras havia feito a solicitação deste documento ao clube ucraniano no último dia 10, mas sem sucesso. Em um segundo momento, no último dia 20, o Verdão solicitou a documentação diretamente a FIFA que já trabalha para a emissão da documentação que, em vias normais, demora até 20 dias para ficar pronta.

Sendo assim, a documentação de Cleiton Xavier seria emitida pela entidade máxima do futebol apenas no dia 12 de março, oito dias depois da partida inaugural da Copa do Brasil, impossibilitando a estreia do novo reforço palmeirense.

Tanto o Palmeiras quanto os advogados do jogador tentam acelerar o processo junto a FIFA. As partes argumentam que Cleiton Xavier está impedido de exercer sua profissão. Se a documentação chegar até a manhã do dia 3, o Palmeiras crê que pode conseguir escalar o jogador a tempo, já que a viagem a Vitória da Conquista será na parte da tarde. O jogo em si será às 22h do dia seguinte.

Caso a documentação não chegue a tempo, Cleiton Xavier terá de esperar até o dia 2 de abril, data do jogo de volta diante dos baianos. Entretanto, tal duelo pode nem acontecer, uma vez que basta o Palmeiras vencer por dois gols de diferença para que a partida de volta seja eliminada. Se isso ocorrer, o meia poderá ficar até dois meses parado, voltando a jogar apenas na segunda fase da Copa do Brasil e até mesmo na fase final do Paulistão.

Foto: César Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação