Cinco lições que o Atlético-MG deve tirar da derrota para o Colo-Colo

A partida de estreia do Atlético-MG na Libertadores 2015 não teve o resultado que a torcida e a comissão técnica esperavam. Na verdade criou-se uma expectativa tão grande sobre o “Novo Galo”, que a derrota de 2 a 1 para o Colo-Colo – CHI chegou a causar espanto em alguns. Mas passado o susto, é preciso que o time da capital mineira siga sua trajetória  e aprenda com a adversidade que o primeiro jogo causou.

Libertadores é pegada – Como o próprio técnico Levir Culpi frisou após a partida, a disposição para a disputa de uma Libertadores tem de ser diferente. No jogo contra os chilenos faltou a pegada que ajudou o time a virar situações difíceis, como os confrontos contra Flamengo e Corinthians, pela Copa do Brasil 2014. Quem quer seguir vivo na competição precisa se doar ao máximo.

Todos querem vencer o chamado ‘Favorito’ – Muito se fala do bom elenco que o Atlético tem nesta temporada e da importância de se ter mantido, praticamente, todo o time do ano passado. Fato que teoricamente lhe dá vantagem sobre equipes que ainda estão em formação. A imprensa brasileira de um modo geral avaliou positivamente o fato e, colocou o time mineiro como uma das mais, senão a mais preparadas para a disputa e conquista do torneio, entre as equipes do país. Porém, o time precisa estar atento, afinal, todo mundo quer vencer o “Favorito”,

Mesmo sem o milagre a Massa ainda confia em São Víctor – A falha do arqueiro atleticano no primeiro gol do Colo-Colo não foi a primeira e está longe de ser a última. O goleiro tem crédito de sobra com a torcida. Basta lembrar daquela defesa com o pé esquerdo, diante do Tijuana – MEX, na cobrança de pênalti executada por Riascos. E tem mais uma coisa, não faria sentido algum o “EU ACREDITO”, se em qualquer provação o atleticano desistisse.

A derrota vai servir de alerta – Os erros apareceram, contra uma equipe mais qualificada tecnicamente que aquelas que disputam o Campeonato Mineiro, contra as quais o alvinegro mais jogou até agora, a exceção de Cruzeiro e América o estadual, apesar de ter boas equipes, como a surpreendente Caldense, que vem fazendo uma ótima campanha. O regional não oferece testes à altura de uma competição continental. Não é o fim do mundo, mas é preciso corrigir, caso o Galo queira continuar sonhando alto na competição. Ainda há tempo de se ligar, mas é preciso fazê-lo o quanto antes.

Ainda não acabou – Perder é ruim? Claro que é, mas como já foi dito antes, ainda dá para se recuperar na competição. Agora Levir vai precisar ser inteligente para trabalhar a cabeça dos jogadores para o próximo jogo, contra o Atlas – MEX, no Independência. Uma vitória devolverá a tranquilidade ao elenco que tem boas chances de se classificar, ainda restam 15 pontos em disputa, o Colo-Colo terá de vir a Belo Horizonte enfrentar o Atlético, caso venças seus adversários a partir de agora, o Galo pode se classificar e em primeiro lugar do grupo. O momento é de absorver a derrota e ter calma.