Opinião: As torcidas organizadas afastam as famílias do futebol… ou não!

torcidas organizadas

É bem comum ver nos programas esportivos os “sensacionalistas do esporte” falando que o grande câncer do futebol são as torcidas organizadas. Atribui às torcidas organizadas o afastamento das “famílias” dos estádios, consequentemente a queda radical do público e o envolvimento direto de líderes de torcidas na direção dos clubes.

LEIA MAIS
Opinião: Carlos Miguel Aidar escancara relação “íntima” com organizadas
Game da Mancha Verde reproduz violência entre torcidas organizadas
Torcidas organizadas de times rivais também são amigas; entenda

Não vou falar muito da questão da corrupção no futebol, que tirou a graça do esporte. A queda da Portuguesa para a manutenção de time “grande” do RJ é um dos casos mais recentes da manipulação que existe no futebol. Isso é um dos fatos que afastam, verdadeiramente, as “famílias” dos estádios.

Prova disso, a Portuguesa tem a menor média de público do Campeonato Paulista 2015. É um sinal que os torcedores da Lusa não acreditam mais no resultado em campo, na importância do jogo, já que a qualquer momento pode vir um engravatado da elite futebolística e falar que quer mudar o resultado, e muda.

A Copa do Mundo no Brasil trouxe à tona algumas das falcatruas da cartolagem, que há anos já vinham sendo desmascarada paulatinamente. Isso também fez com que as “famílias” deixassem de ter o futebol como a grande paixão.

Agora, enfim, chega ao ponto que quero falar. As belíssimas arenas foram construídas para receber os grandes astros do futebol mundial, que passaram no Brasil um mês, para nunca mais voltar, e deixaram apenas uma herança: os valores absurdos dos ingressos.

Tudo bem que os “donos” das Arenas argumentam que estão pagando um valor alto para assistir um espetáculo em um ambiente luxuoso e blá-blá-blá. Tá! Mas a “família” deixou, então, de assistir futebol, e a esses valores vão assistir outros esportes historicamente mais elitizados, como o tênis, por exemplo.

Resta para o povão (em especial as torcidas organizadas) os velhos e tradicionais estádios brasileiros, que por não serem os melhores estádios do mundo tem um preço acessível ao verdadeiro público de futebol… Só que não!

O próximo jogo do São Paulo pela Libertadores, no tradicional (para não falar velho) Estádio do Morumbi, terá o ingresso mais barato por “apenas” 120 reais para as “famílias” assistirem o jogo que terminará meia-noite (se não houver nenhum atraso desses comuns em Libertadores). Horário o qual boa parte das “famílias” não consegue mais utilizar o transporte público (a R$ 3,50).

Bom, vamos acabar com as torcidas organizadas, vai!

Foto: Getty Images