Ricardo Goulart se despede do Cruzeiro e não teme perder visibilidade com ida para China

Grêmio

Ricardo Goulart é passado no Cruzeiro. O jogador foi até a Toca da Raposa II nesta terça-feira e se despediu dos companheiros. Em sua entrevista de despedida do clube, o atleta não se mostrou preocupado com a ida para o ainda desconhecido futebol da China e reafirmou que pretende seguir na mídia para se manter na seleção brasileira do técnica Dunga.

Leia mais:
Por 15 milhões de euros, Ricardo Goulart deixa o Cruzeiro e acerta com time chinês

“Não perde visibilidade, o mundo está tão comunicativo que você sabe o que está acontecendo na China. Meu sonho da seleção está vivo, depende de mim. Agora é deixar a vida seguir”, disse Ricardo Goulart.

Nesta terça-feira, antes de se transferir de vez para a China, o jogador foi até a Toca da Raposa II e retirou seus pertences pessoais e se despediu dos companheiros. Em campo, Goulart chegou a ser aplaudido pelos amigos e comissão técnica.

“Futebol é muito rápido, quando eles querem, eles podem. Ambas as partes favoráveis, estou saindo de cabeça erguida, com o carinho de todos no clube, principalmente da torcida que me acolheu, acho que eles entendem. A vida segue, espero um dia voltar”, explicou o meia-atacante.

O Cruzeiro receberá cerca de 15 milhões de euros pela venda de Goulart para o Guangzhou Evergrande, principal e mais rico clube da China. “Aconteceu muito rápido esta transação, o Cruzeiro foi beneficiado, eu também. Sabemos que o futebol chinês está crescendo muito, vai ser uma nova etapa na minha vida. Espero crescer profissionalmente, como pessoa. Foi bom para todos”, observou.

Na China, Ricardo Goulart irá encontrar um futebol com estilo diferente, mas um país com vários brasileiros. Mesmo ainda desconhecido, o jogador acredita que a distância do Brasil não irá o afastar da seleção brasileira e pretende seguir na mídia para ser lembrado por Dunga.

“Seleção vai ficar sempre na minha cabeça, vou fazer de tudo para chamar atenção lá na China. Espero que eu possa ser o primeiro jogador a atuar na China sendo convocado à seleção brasileira”, ressaltou o meia-atacante.



Jornalista, foi repórter do UOL Esporte por sete anos, nos últimos quatro, como setorista do Atlético-MG. Cobriu também Cruzeiro, vôlei, UFC, natação. Formado pela Newton Paiva, é colaborador em Belo Horizonte do Torcedores.com