Primeiro, os estudos! Início do ano letivo nos EUA é problema para Oregon na final do College Football

(Foto: USA Today Sports)

Uma polêmica cerca as finais do College Football. Uma simples data de começo de aulas pode interferir na forma como Ohio State Buckeyes e Oregon Ducks se preparam para a grande decisão na próxima segunda, dia 12.

LEIA MAIS:

Marcus Mariota recebe premiação máxima do futebol americano universitário

Nike revela uniformes de Oregon e Ohio State para final do College Football

A NCAA possui um conjunto de regras e diretrizes que determinam a quantidade de horas que os atletas têm para participar de atividades atléticas, com o objetivo de não interferir em sua formação acadêmica. Um jogador de futebol americano universitário possui 20 horas por semana, divididas em 4 horas diárias, para se preparar para uma partida.

O problema é que as aulas em Ohio State só iniciarão em 12 de janeiro, data da final. Com isso, os atletas dos Buckeyes não tem a necessidade de cumprir esta carga horária, já que não estão envolvidos em atividades da universidade e tem tempo livre para treinar a vontade. Já Oregon, começou o semestre em 05 de janeiro, sendo assim seus jogadores terão seus treinos limitados.

Treinos em campo, trabalhos como musculação e sessões de vídeo para observar o playbook adversário estão incluídas no pacote de 20 horas. Os jogos também estão nesta cota, mas com um horário fechado de 3 horas, sem importar quanto tempo dure a partida. Nesta reta final de preparação, qualquer minuto estudando o outro finalista e corrigindo as próprias falhas é fundamental rumo à vitória.

Texto de Rafael Gomes em www.theplayoffs.com.br.



O The Playoffs é o primeiro portal brasileiro de esportes americanos. Com notícias diárias e atualizadas, fala das quatro principais ligas esportivas da América do Norte: NBA, NFL, NHL e MLB.