Ohio State surpreende e conquista título do futebol americano universitário

(Imagem: Reprodução Twitter)

Ezekiel Elliott. Guardou o nome? O running back de Ohio State Buckeyes simplesmente chutou Oregon Ducks em uma partida mais que espetacular onde terminou com 4 touchdowns, 36 carregadas para 246 jardas, o que perfaz uma média de 6.83 jardas por carregada. A atuação ficará marcada na história também por ser o recorde de jardas corridas por um atleta em todos os tempos das finais do College Football.

LEIA MAIS:

Conheça as armas de Oregon e Ohio State para a final do College Football

Relembre: Jameis Winston lidera título nacional de Florida State

Melhor para Ohio State, que conquistou o título nacional universitário em vitória por 42 a 20, no AT&T Stadium, Dallas, nesta segunda-feira (12).

Quem também fez ótima partida foi o QB Cardale Jones. Se existiam dúvidas sobre sua capacidade de liderar o ataque da equipe mesmo com poucos jogos como titular, elas foram dizimadas com uma atuação que contou com 242 jardas lançadas e 1 touchdown, com 1 interceptação. Além disso, correu para 38 jardas e anotou 1 TD com as pernas. O vencedor do Heisman Trophy e possivelmente primeira escolha do próximo draft, Marcus Mariota, sentiu muita falta de seus dois principais recebedores: Devon Allen com uma lesão sofrida no Rose Bowl e Darren Carrington que falhou no teste antidoping antes da decisão. Com isso, o QB dos Ducks terminou com 333 jardas e 2 TDs. Quando correu com a bola, conquistou 39 jardas.

A primeira campanha da partida foi o único momento de superioridade de Oregon. Com boas corridas de Thomas Tyner, o time chegou rapidamente próximo a linha do gol. Foi então que em ótimo passe de Mariota, Keanon Lowe recebeu a bola na endzone abrindo o placar, 7-0.

Ohio State só conseguiu responder duas campanhas depois. E foi com o nome da noite, Ezekiel Elliott, que numa ótima corrida de 33 jardas deixou tudo igual. Com muita tranquilidade no pocket e correndo com a bola, Cardale Jones comandava as ações dos Buckeyes. A virada veio naturalmente com um passe de 1 jarda para Nick Vannett, 14-7.

A emoção parecia retornar, quando Jones sofreu um fumble recuperado pelos Ducks. Só que uma característica que marcou o time durante o jogo começou a aparecer: o não aproveitamento dos turnovers. Sem conseguir pontuar, não conseguiu converter uma quarta descida. A bola voltou para Ohio State, mas não durou muito tempo, já que a defesa forçou mais um fumble. Mas o ataque não estava no mesmo nível da defesa e sofreu um 3-and-out. Dessa vez os Buckeyes não perdoaram. Jones em ótima exibição anotou um TD numa corrida de 1 jarda, 21-7. Antes do intervalo, Aidan Schneider diminuiu a vantagem num field goal de 26 jardas, 21-10.

A volta do intervalo parecia finalmente trazer Oregon para o jogo. Com a defesa mantendo um bom nível contra o passe, o time interceptou Jones. E Mariota só precisou de um passe para anotar um TD de 70 jardas com Byron Marshall em lance que quase foi invalidado, já que o jogador dos Ducks por muito pouco não soltou a bola antes de entrar na endzone. Com 21-17, Ohio State parecia perder o controle do jogo e sofreu mais um fumble, que resultou num FG de 23 jardas, 21-20.

O antídoto para a aproximação de Oregon era claro. A bola deveria passar pelas mãos de Elliott. Percebendo isso, Jones comandou drives que usaram e abusaram do jogo corrido. Mesclando as corridas de QB e RB, o spread option dos Buckeyes foi mortal. Elliott conseguiu uma corrida de 9 jardas que resultou em mais um touchdown, 28-20. O running back ainda correria para mais um TD duas campanhas depois, praticamente sepultando os Ducks num 35-20.

Oregon não conseguia avançar contra a sufocante (e descansada) defesa de Ohio State. E após uma sequência de passes incompletos de Mariota, os Buckeyes castigaram mais uma vez. E adivinhem com quem? Ele mesmo, o MVP das finais, Ezekiel Elliott em mais um TD, dessa vez correndo 1 jarda, 42-20. Jogando pela honra, Oregon ainda tentou alguma coisa, mas viu a espetacular carreira de Marcus Mariota em sua universidade, terminar em um lance incomum para ele, uma interceptação. A noite era de Ohio State, a campeã questionada. A equipe que não deveria estar ali. O time desacreditado. Os underdogs. Foi o nono título da universidade na NCAA e o terceiro do técnico Urban Meyer. E todos têm um nome claro para agradecer: Ezekiel Elliott, o running back que usa uma “baby look”. Somando as duas partidas do College Football Playoffs, Elliott correu nada mais nada menos que 476 jardas. Espetacular. Candidatíssimo ao Heisman Trophy da próxima temporada.

Texto de Rafael Gomes. Mais em www.theplayoffs.com.br.

Crédito da foto: Reprodução Twitter



O The Playoffs é o primeiro portal brasileiro de esportes americanos. Com notícias diárias e atualizadas, fala das quatro principais ligas esportivas da América do Norte: NBA, NFL, NHL e MLB.