No dia do Treinador de Futebol, veja cinco técnicos que não mereceriam a homenagem

Vasco x Avaí
Getty Images

Hoje, dia 14 de janeiro, é o dia do Treinador de Futebol. Se você não sabia disso, saiba que existem alguns técnicos que também não sabem: não tem a mínima ideia que eles não manjam nada de futebol. Ou manjam menos do que deveriam.

LEIA MAIS:
Jornal inglês detona “ano miserável” de Felipão no Grêmio e na seleção
Entrevistamos o fake da Dona Lúcia, a “queridinha” da CBF

O Torcedores.com separou cinco deles para lembrar você que, por pior que seja o “professor” que você xinga de “burro”, sempre é possível ter alguém mais incompetente. E também, claro, para deixar claro que todos os Treinadores de Futebol merecem os parabéns neste dia. Menos esses da lista:

1 – Adílson Batista

Vasco x Avaí
Foto: Getty Images

Confesso que ficamos meio sem jeito de colocá-lo aqui, afinal, ele chegou a fazer um bom trabalho pelo Cruzeiro, em 2009. De lá em diante, porém, só acumulou fracassos. Conseguiu a proeza de ser demitido do “exigente” Atlético/GO, em 2012, depois de apenas 10 jogos no comando.

 

 

 

2 – Lula Pereira

Foto: Divulgação / Ceará
Foto: Divulgação / Ceará

Não sabemos como ele conseguiu chegar a treinar times grandes do nosso futebol, como o Flamengo, por exemplo, mas enfim. Mais folclórico do que qualquer coisa, Lula Pereira trabalhou em 19 clubes diferentes na sua carreira e o máximo que conseguiu foi ganhar o Campeonato Cearense. Com o melhor time do estado, o Ceará. Baita proeza…! Só que não!

 

 

3 – Paulo César Carpegiani

Foto: Divulgação / São Paulo FC
Foto: Divulgação / São Paulo FC

Até teve um início promissor, sendo campeão mundial pelo Flamengo, mas depois, desandou a rapadura. O apelido dele, inclusive, é Professor Pardal, pela fama de gostar de inventar, “fazer experimentos”. Nem precisamos dizer mais nada…

 

 

 

 

4 – Celso Roth

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

A física não permite uma série de situações no futebol, como diria Galvão Bueno, mas, inexplicavelmente, permitiu que Celso Roth fosse campeão da Libertadores, com o Inter, em 2012. Foi tão extraordinário, que depois ele protagonizou o maior mico da história do Colorado, quando perdeu o Mundial de Clubes para o Mazembe, time da “tradicional” Rep. Democrática do Congo. Sem mais!

 

 

5 – Paulo Bonamigo

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um dos trocentos treinadores esdrúxulos que passaram pelo Palmeiras desde que a Parmalat deixou de ser parceira do clube. Apesar de não ter feito a pior das campanhas do mundo com o Verdão, dali em diante, Bonamigo nunca mais treinou um clube do primeiro escalão e hoje “se esconde” nas Arábias. Melhor pra nós!

 

 

 

 



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...