Finais da Copa Brasil feminina de vôlei serão realizadas sob protesto das jogadoras do Sesi

Reprodução/Facebook

Neste final de semana, quatro grandes equipes do cenário do vôlei nacional disputam o título da Copa Brasil feminina. Rexona-Ades, Pinheiros, Molico/Osasco e Sesi-SP se classificaram à semi e vão disputar o título, que será definido no dia 17 em Cuiabá (MT).

Apesar de grandes talentos em quadra, um detalhe organizacional vem chamando a atenção nesta edição. A competição, que no ano passado garantiu uma vaga para o Sul-Americano de clubes, não vai classificar uma equipe feminina neste ano.

A CBV (Confederação Brasileira de Voleibol) ainda não divulgou, mas o Rexona-Ades, por ser o atual campeão da Superliga, e o Molico/Osasco, que será a sede do evento, serão os representantes brasileiros na competição. Com isso, o Sesi-SP, atual campeão continental, não vai poder defender o título conquistado na temporada passada.

Desta forma, apenas uma manobra nos bastidores pode levar o Sesi à competição.

“É complicado. Sou sincera. Estamos jogando a Copa Brasil por jogar, porque não vamos nos classificar para nada. O Osasco e o Rio já estão classificados para o Sul-Americano. Então jogamos por nada. Não posso deixar de falar. Acho que isso me deixa um pouco triste, me deixa um pouco chateada. Nós como atletas temos de fazer o nosso melhor, nossa função. Mas isso de jogar dois campeonatos juntos é ruim, mas ao mesmo tempo é bom, porque dá mais oportunidade às outras equipes. A única coisa chata é que estamos jogando e não vale nada”, desabafou Fabiana, a capitã do Sesi.

Entre as quatro equipes que disputam o título da Copa Brasil, o atual campeão Molico/Osasco possui o maior desafio pela frente. As ausências de Thaísa e Dani Lins, titulares da seleção brasileira, complicam ainda mais a situação da equipe do técnico Luizomar, que vai enfrentar o rival Sesi-SP na sexta-feira (16) às 22h, em Cuiabá (MT).

A partida vai ser a reedição da final do ano passado quando o Molico foi o campeão com a vitória por 3 sets a 1. No entanto, o retrospecto no ano é favorável ao Sesi. Foram dois jogos e duas vitórias da equipe de Fabiana, sendo uma pela Superliga e outra pelo campeonato paulista.

Na outra semifinal, o Rexona-Ades, atual campeão da Superliga, vai encarar o Pinheiros também na sexta às 20h. As duas equipes se classificaram com certa facilidade com vitórias por 3 sets a 0. Enquanto as comandadas do técnico Bernardinho eliminaram o São Cristóvão/São Caetano nas quartas, a equipe paulista despachou o Praia Clube. Neste duelo, o favoritismo é todo da equipe carioca, líder da Superliga e invicta na temporada.



Estudante de Jornalismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro e apaixonado por esportes.