Mercado da bola já foi muito mais agitado e “estrelado”; relembre

O mercado da bola do futebol brasileiro nesta temporada tem como principal contratação, até agora, a do atacante Dudu, ex-Grêmio, que foi vendido pelo Dínamo de Kiev ao Palmeiras por R$ 19 milhões. Mas a época de especulações e transações não está mais tão agitada como antigamente.

LEIA MAIS
Mercado da bola: Guerrero é o novo alvo do Palmeiras
Chapéu do Palmeiras em rivais por Dudu vira motivo de brincadeiras nas redes sociais

Uma rápida passada pelos últimos 10 anos mostra que as principais aquisições de cada “mercado da bola” deram muito mais o que falar do que a contratação de Dudu, que ganhou muito mais impacto por envolver três rivais na negociação (São Paulo, Corinthians e Palmeiras) e por ter tido um desfecho inesperado, com a entrada do Verdão de última hora.

Nem sempre as contratações de peso que lideraram cada temporada de compras acabaram dando certo. Exemplo disso é o atacante Leandro Damião, principal nome do mercado em 2014, quando foi comprado pelo Santos por R$ 42 milhões, em uma transação que envolveu juros de 10% ao ano devidos pelo clube ao fundo de investimentos que bancou o negócio. Resultado: o jogador fez um péssimo ano no Peixe e acabou sendo emprestado para o Cruzeiro.

Igualmente ruim, até agora, tem sido o resultado do principal destaque do mercado da bola de 2013. Na ocasião, na esteira da euforia pelo bicampeonato mundial de clubes, o Corinthians comprou o atacante Alexandre Pato, do Milan, por R$ 40 milhões. Hoje, o jogador está emprestado para o São Paulo, arquirrival do Timão, e o clube sonha pelo menos reduzir o prejuízo no futuro.

Em 2012, a principal estrela do mercado da bola foi o meia Jadson, contratado pelo São Paulo como grande esperança para o ano. Três anos depois, é justamente Jadson que foi trocado por Pato na negociação feita com o Corinthians.

O Flamengo foi o responsável pela maior atração dos bastidores em 2011. O clube da Gávea lotou seu CT para receber Ronaldinho Gaúcho, que vinha do Milan para tentar retornar aos seus melhores dias e conseguiu um lugar na seleção brasileira. Sucesso que ele só foi conseguir no Atlético-MG, em 2012 e 2013, mas não foi convocado para a Copa de 2014.

Em 2010, o lateral Roberto Carlos foi a estrela do Corinthians nas contratações para a Libertadores. O time sonhava conquistar o torneio de maneira inédita em seu ano de centenário, mas ficou pelo caminho nas oitavas de final, quando perdeu para o Flamengo. Roberto saiu marcado pela eliminação na Pré-Libertadores de 2011, para o Tolima.

No ano anterior, porém, o Corinthians conheceu o lado bom do mercado da bola ao trazer de volta ao Brasil o atacante Ronaldo. O craque atraiu patrocinadores, deu novo ânimo ao futebol do clube e liderou o 2009 marcado pelos títulos do Paulistão e da Copa do Brasil. Não conseguiu ganhar a Libertadores em 2010 e se aposentou após a queda para o Tolima, no ano seguinte. Mas virou ídolo para a história do Timão.

Outro destaque em 2009 foi a contratação do atacante Keirrison, que se destacou no ano anterior pelo Coritiba. O Palmeiras, em parceria com a Traffic, levou o jogador, que começou a temporada marcando muitos gols e ganhando o carinho da torcida. Mas a lua de mel durou meses, e no meio do ano o jogador foi vendido para o Barcelona após vários jogos sob vaias dos palmeirenses, que o acusavam de forçar a saída. Nunca mais se firmou em nenhum clube.

Em 2008, o São Paulo apostou no empréstimo de Adriano, o Imperador, para recuperar o jogador após um período ruim na Europa. A torcida até se empolgou, mas o jogador deixou o clube sem conquistar títulos, no meio daquele ano.

O atacante Diego Souza foi destaque do mercado da bola no Grêmio, em 2007, e foi um dos principais nomes do clube no vice-campeonato da Libertadores. No ano seguinte, voltou a ser um dos principais nomes das negociações, após ser comprado pelo Palmeiras, onde seria campeão paulista.

Em 2006, outro empréstimo são-paulino foi destaque. O atacante Ricardo Oliveira chegou com moral, foi um dos principais jogadores na Libertadores, mas seu vínculo acabou dias antes da final da competição continental, que naquele ano acabou atrasada graças à disputa da Copa do Mundo. O desfalque foi duramente sentido pelo time de Muricy Ramalho, que foi derrotado pelo Internacional.

Há dez anos, o argentino Carlitos Tévez era a bola da vez no mercado brasileiro. O jogador do Boca Juniors foi o maior nome contratado pela MSI para o Corinthians de 2005. Foi campeão brasileiro, se converteu em ídolo, mas não teve uma saída boa em 2006, quando foi para o West Ham após o fim da parceria Corinthians-MSI.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016. Também colabora com o ONDDA, site "irmão" do Torcedores.com.