Com os reforços, o Vasco de 2015 é melhor do que o de 2014?

Getty Images

Ano novo, time novo e no Vasco isso também é uma realidade. Com uma mudança profunda em seu elenco, o Gigante da Colina de 2015 é bastante diferente do time de 2014. Poucos são os atletas que entraram em campo na última temporada e entrarão nessa, porém, essa mudança é positiva ou negativo: o Vasco de 2015 é melhor do que o de 2014?

LEIA MAIS:
Donizete dispara contra a base do Flamengo: “Quem tem que treiná-lo são eles”
Marcelo de Lima Henrique sobre o Campeonato Carioca 2014: “Minha atuação individual na decisão foi excelente”

A pergunta parece prematura, mas já é possível pensar no esboço do time-base para esta temporada. Os primeiros treinamentos com bola sob o comando do técnico Doriva tiveram como destaque o zagueiro Rodrigo e o volante Guiñazu, por exemplo, dois nomes respeitados pelos torcedores devido a capacidade técnica e disposição de ambos. Contudo, alguns outros atletas também chamaram a atenção positivamente, como foi o caso de Marcinho, reforço contrato para este ano, Bernardo, que volta de empréstimo, além do recém-promovido ao time principal Marquinhos e do jovem Rafael Silva, que chegou na metade do ano passado.

Quando lembramos do time-base do Vasco em 2014, pensamos em uma equipe experiente, mas que foi bastante criticada por ser lenta e com dificuldades para superar defesas adversárias: Martin Silva, Diego Renan (Carlos César), Rodrigo, Douglas Silva, Lorran (Marlon); Guiñazu, Fabrício, Pedro Ken e Douglas; Kléber e Thalles; T.: Adilson Batista (Joel Santana). Em 2015, ao menos em tese, o time-base deve ser bastante diferente, conforme foi observado nos primeiros treinamentos: Martin Silva; Jean Patrick, Luan, Rodrigo e Christiano; Guiñazu, Sandro Silva, Lucas e Julio dos Santos; Marcinho e Thalles (o jogador está servindo a seleção brasileira, mas deve ser titular); T.: Dovira.

A equipe do ano passado possuía jogadores de mais nome e que, ao chegarem, motivaram os torcedores. Kléber e Douglas são os grandes exemplos disso. Em 2015, Marcinho e Julio dos Santos não despertam o mesmo interesse, contudo, vêm se destacando nos treinamentos e criando uma expectativa positiva. Jean Patrick e Christiano tem potencial para serem melhores do que os laterais do ano passado, embora o próprio Lorran, que está em sua segunda temporada no time profissional, tenda a crescer este ano. No meio campo, Sandro Silva e Lucas, ao lado de Guiñazu, mostram mais movimentação do que Fabrício e Pedro Ken, porém, em termos técnicos, eles se equivalem.

O fato é que, em tese, o Vasco de 2015 é muito parecido com o de 2014. O que não é, necessariamente, bom ou ruim, pois o que o Gigante da Colina não pode ser mesmo é aquele time apático que foi rebaixado em 2013. Este ano é o de reconstruir um clube com sérios problemas internos e, para isso, é essencial que o time dentro de campo honre a camisa cruzmaltina.