Argentinos são sondados e podem deixar o Palmeiras

Alvo de críticas, o quarteto argentino pode não atuar pelo Palmeiras na temporada 2015. Contratados a pedido de Ricardo Gareca, Tobio, Allione, Cristaldo e Mouche, não fizeram boa sequência sob o comando de Dorival Junior no ano passado. O ex treinador nega boicote e responsabiliza lesões, expulsões e forma física como motivo da não titularidade dos atletas.

LEIA MAIS:
Perto de perder Arouca, Santos vai propor acordo ao Palmeiras
Everton Ribeiro e Paolo Guerrero não estão nos planos do Palmeiras

As discussões entre eles tornaram-se públicas e a troca de farpas chegou a internet.
Oswaldo de Oliveira, técnico recém contratado pelo Palmeiras, por sua vez, colocou panos quentes na briga e afirmou: “Independente da nacionalidade e da idade do atleta, se for bom, joga”.
Mesmo com a situação aparentemente controlada, Oswaldo agora parece não precisar se preocupar tanto assim com o assunto, já que os quatro possuem propostas e podem deixar o clube. A intenção de Nobre é de manter os hermanos no time, mas, a fase de negociações está aberta.

O atacante Cristaldo foi procurado pelo River Plate da Argentina. A falta de espaço no elenco e a disputa da Libertadores da América, pelo River, podem pesar na decisão do jogador de retornar a terra natal. A vaga de centroavante no Verdão está concorrida e Cristaldo terá de brigar pela posição com Leandro Pereira e Rafael Marques. O que barra, inicialmente uma negociação é a questão financeira. O Palmeiras pagou R$ 8 milhões pelo jogador e não aceita perdê-lo por menos. A opção seria emprestar. Sem grandes aparições, Cristaldo jogou 19 partidas e marcou apenas dois gols na temporada passada.

Para o campeonato paulista, serão 28 inscritos e a possibilidade dele não estar entre os nomes, é grande apesar dos elogios do técnico. Tobio, Allione e Mouche também tiveram sondagens, porém o empresário José Luiz Galante, diz que o interesse é permanecerem.



Curiosa por natureza e jornalista de formação. Sou autora do livro Palmeiras - O Brasil de coração italiano. Escrever sempre foi um hobby e vender por meio da mensagem tornou-se profissão. Formada desde 2012, hoje me especializo em Comunicação de Marketing em Mídias Digitais.