Veja jogadores que tiveram suas camisas aposentadas

Quem não tem saudade de ver aquele jogador que se consagrou com a camisa do seu clube? Os ídolos se formam nos clubes de diferentes modos, seja aquele que ganhou inúmeros títulos com a equipe, que atuou por vários anos, por mostrar identificação com a torcida/clube, enfim, opções não faltam. Esses jogadores se tornam tão grandes nas equipes que como homenagem chegam a ter suas camisas aposentadas.

LEIA MAIS
10 momentos que provam que boleiros poderiam ser lutadores
Confira os 10 maiores clubes no ranking de sócio-torcedores do Brasil
Top 7: Atletas que lutam contra a balança

No Brasil, existem alguns casos, no mundo tem inúmeros. Recentemente, o argentino Javier Zanetti, que jogou durante 19 anos na Inter de Milão, teve sua camisa 4 eternizada quando o jogador se aposentou no final da última temporada. Ainda na Itália, Totti da Roma ainda não se aposentou, mas o presidente James Pallota já afirmou que a camisa do atleta irá ser aposentada quando ele decidir parar.

Outro caso que vale ser ressaltado, é que em muitos casos as equipes preferem aposentar as camisas como forma de homenagear os jogadores por causa de suas mortes. Casos de: Miklos Feher no Benfica, Antônio Puertas no Sevilha, Dani Jarque no Espanyol, entre outros casos.

Eterno ídolo no Palmeiras, Marcos, ou São Marcos para os torcedores do time, ganhou como homenagem por tudo que fez pelo clube, a aposentadoria da camisa 12 que usou por muitos anos no alviverde. Romário teve a 11 eternizada no Vasco, porém Roberto Dinamite assumiu a presidência do cruzmaltino e pôs fim a homenagem. Mas no América do Rio de Janeiro, clube que o baixinho já declarou ser torcedor, ninguém utiliza o número em referência ao, agora, senador.



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.