Veja como está palco de Brasil x Argentina seis anos após as Olimpíadas

Brasil
Getty Images

Neste sábado (11), Brasil e Argentina farão o Super Clássico das Américas no estádio Ninho do Pássaro, em Pequim, na China. Com a promessa de um grande jogo e de grandes astros do futebol mundial como Messi e Neymar, desfilando talento e habilidade no gramado do grande palco das Olimpíadas de 2008.

LEIA MAIS
Atenas tem instalações abandonadas 10 anos após Olimpíadas; veja
Relembre momentos históricos em Olimpíadas

Mas o que os jogadores, torcedores e a imprensa irão encontrar, será um cenário bem diferente daquele de 2008, quando os olhos do mundo estavam voltados para Pequim. Hoje, assim como aconteceu com várias outras cidades que também sediaram os jogos olímpicos, o estádio está abandonado e serve apenas como grande centro turístico da China.

O Ninho do Pássaro chegou a receber alguns eventos pós-2008, como competições de atletismo e amistosos entre seleções, além de ter promovido o primeiro rodeio da China, a instalação do parque temático “país das maravilhas de inverno” e shows musicais. Mas só com isso, acredita-se que só será possível recuperar os R$ 875 milhões investidos na construção, daqui a pelo menos três décadas.

Atualmente o estádio se sustenta com o dinheiro arrecadado das visitas turísticas, onde o ingresso custa o equivalente a R$ 20. A visita não tem acompanhamento de guias e não dá acesso há alguns setores internos, como vestiários e camarotes.

Para o clássico deste sábado, o gramado é a principal preocupação das equipes. As laterais do campo e as áreas dos goleiros são os mais prejudicados. O estádio também estava sem traves e sem banco de reservas, ou seja, tudo o que for visto durante o jogo do Brasil contra a Argentina, foi preparado única e exclusivamente para esta partida.

Confira algumas fotos do Ninho do Pássaro, o antes e o depois das Olimpíadas!

Foto: Getty Images