Ronaldinho se queixa sobre racismo: “basta!”

Dentre tantos assuntos citados em entrevista coletiva nesta terça-feira (07), Ronaldinho Gaúcho falou sobre às ofensas racistas que sofreu de Carlos Treviño, integrante do conservador PAN, quando na ocasião foi chamado de macaco por meio de uma rede social.

LEIA MAIS
Adriano Imperador descarta aposentadoria e quer voltar a jogar
Você se lembra como eram os estádios antes das reformas?
Cartola FC: Veja dicas para a rodada 27 do Brasileirão

“Basta. Estamos todos cansados disso. É um assunto que fere, que vai além da cor da pele ou da nacionalidade. Espero que em breve tudo isso acabe”, disse o brasileiro.

Mas Ronaldinho não falou apenas sobre essa polêmica, o camisa 49 também explicou como está sua adaptação ao futebol mexicano. ” Estou feliz por estar aqui. O objetivo é ficar entre os oito primeiros. Espero que em pouco tempo eu possa estar nas melhores condições para dar alegria aos torcedores. Pouco a pouco, vou me adaptando. Em pouco tempo darei alegrias ao clube. Estamos jogando bem, mas está nos faltando sorte com o resultados”.

Para finalizar, Gaúcho afirmou o que foi recebido muito bem e disse o que pretende fazer para se tornar ídolo no México. “Eu fiz a minha história. Todos viram o que eu fiz, e espero que siga dessa maneira. Eu vim para cá porque o México tem um futebol que me encanta. O mexicano ama o futebol como o brasileiro. O que eu quero é ver o estádio cheio. Eu vim para fazer o meu trabalho. Eu me divirto com ele. O Querétaro e todos aqui me receberam muito bem. Estou muito contente aqui. Vim com o objetivo de fazer história e levar o nome do Querétaro o mais alto possível”.

Ronaldinho já marcou dois gols em cinco jogos pelos Gallos Blancos. Nessas partidas ele conquistou uma vitória, um empate e três derrotas. O clube ocupa a oitava colocação do Campeonato Mexicano onde entrou em campo 12 vezes e conquistou 15 pontos.

Foto: Reprodução



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.