Investidores no futebol: de que lado você está?

A Fifa vetou a participação de investidores na negociação dos atletas. A medida pode ter grande impacto no futebol, sobretudo no caso brasileiro, extremamente vinculado à ação desses agentes.

Leia mais: FIFA veta que investidores negociem atleta, mas seu clube também deve agir; entenda

O futebol não nasceu ligado ao dinheiro desses empresários, porém, sobretudo nas últimas décadas, está extremamente atrelado a isso. Em razão das dívidas, muitos clubes têm parte de sua renda bloqueada pela justiça e recorrem a esses parceiros em troca de dinheiro rápido e fácil. Consequentemente, alguns deles são obrigados a servir de vitrine para jogadores de capacidade técnica duvidosa.

Em meio a tantas discussões em torno desse tema, de qual lado você está? Veja a posição dos principais agentes afetados por essa medida.

Clubes brasileiros: principais atingidos pela medida, os clubes brasileiros ainda estão em dúvida sobre o futuro sem os investidores. Alguns acreditam que pode haver melhorias, como a redução dos salários e até mesmo maior autonomia, outros, porém, não enxergam grandes possibilidades mais para frente;

Investidores: Com grande quantia de capital envolvida na gestão de atletas, os investidores são obviamente contrários a decisão da Fifa e para isso argumentam serem apenas parceiros dos clubes que os procuram;

Governo: A posição do Governo Federal é, segundo o Ministro do Esporte, favorável ao veto, pois, além de fortalecer os clubes, ela daria ainda mais importância a Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte;

Especialistas em Direito Esportivo: Muitos especialistas acreditam que a medida é positiva, embora afirmem que ela demorará a surtir efeito. Segundo eles, os contratos atuais terão que ser respeitados, além, é claro, de ser possível alguns investidores darem seu jeito para continuar mantendo relações duvidosas com os clubes.