Fórmula 1 coloca mais um país na categoria dos “GPs nefastos”

Getty Images

O GP da Rússia de Fórmula 1 entrou para uma seleta lista de países que receberam a principal categoria do automobilismo em momentos de crise.

Países que receberam provas em momentos controversos e após tragédias. A lista a seguir é de países que receberam etapas da Fórmula 1 em momentos divergentes de sua história:

África do Sul
Motivo: Apartheid
Justamente no momento mais complicado do Apartheid, a Fórmula 1 aportou em terras sul-africanas. O circuito de Kyalami era a sede da F1, enquanto os confrontos entre brancos e negros aconteciam no resto do País.

Argentina
Motivo: Ditadura Militar
Outro país que recebeu a Fórmula 1 em tempos de instabilidade foi a Argentina, que começou a receber diretamente a categoria, pouco depois do início da Ditadura, que foi até o ano de 1983.

Brasil
Motivo: Ditadura Militar
O início da realização do GP do Brasil aconteceu durante a Ditadura Militar, com Emerson Fittipaldi em destaque. O piloto trouxe a Fórmula 1 para o país, que começou a gostar de automobilismo graças a seus feitos.

Bahrein
Motivo: Guerra Civil
Bernie Ecclestone simplesmente fechou os olhos ao ver uma guerra civil no Bahrein, não se preocupando com pilotos e engenheiros. O esquema de segurança no circuito de Sakhir era digno de guerra.

Espanha
Motivo: Regime Militar
A Espanha recebeu a Fórmula 1 durante os anos de regime militar do general Francisco Franco, ou como ficou conhecido o movimento ‘Franquista’ que terminou somente em 1975, com o falecimento do general.

Rússia
Motivo: Confronto contra Ucrânia
Haviam diversas dúvidas em relação a prova, que aumentaram devido ao problema político entre russos e ucranianos. Por mais que o dinheiro na Rússia seja enorme, a segurança teve que ser reforçada para a realização da etapa de Sochi.



Jornalista de 27 anos, com passagens em diversos sites como UOL Esporte, Trivela, Fanáticos por Futebol, Doentes por Futebol e revistas como IstoÉ 2016, além de passagem pela web rádio Premium Esportes.