Ary Graça alfineta Bernardinho e rebate denúncias: “calei a boca de todos”

Principal dirigente do vôlei mundial, Ary Graça Filho tem tido uma rotina bastante turbulenta nos últimos tempos. Primeiro, teve de lidar com uma série de denúncias contra sua gestão na presidência da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei).

LEIA MAIS:
Brasil vence EUA com reservas no Mundial de vôlei feminino
Bastidores da guerra entre Bernardinho e Federação Internacional de Vôlei

Depois, teve participação intensa no Mundial Masculino, na Polônia. Durante o torneio e, especialmente após a decisão, foi duramente criticado por Bernardinho e pela seleção brasileira. Agora, de maneira mais tranquila, acompanha na Itália a disputa do Mundial Feminino.

Em trânsito para Milão, em uma viagem de trem, o presidente da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) conversou com o Torcedores.com e falou sobre diversos temas. Rebateu as críticas, admitiu que Bernardinho deverá ser julgado e classificou as denúncias contra ele como uma tentativa fracassada de tomada de poder.

Confira os melhores momentos da entrevista:

Torcedores.com: Como você avalia o Mundial Feminino até aqui?
Ary Graça: O grande problema é que o masculino foi um sucesso tão grande, e esta é a boa notícia. A questão é: como eu faço outro igual? Tecnicamente falando, o feminino está perfeito. Está muito equilibrado, não tem vitórias acachapantes. O nível está muito bom, elevado. Vemos que o trabalho está sendo bem feito no mundo inteiro. Agora, para as finais, teremos shows, jogos de luzes e um entretenimento muito grande. Uma interatividade com o público.

Torcedores.com: O que você espera desta fase final? 
Ary Graça: Penso que em entretenimento será sensacional. Temos seis equipes muito fortes. Veja só: temos República Dominicana, Brasil, Estados Unidos e China. Repare que só temos dois times da Europa. Os europeus já não dominam mais como era no passado. O trabalho está surtindo efeito. A Dominicana surgiu incomodando, ganhando de muitos europeus.

Torcedores.com: Vê o Brasil preparado para ganhar?
Ary Graça: O Brasil está muito bem, até com o time reserva nós ganhamos. Mas não podemos vacilar. Temos tudo para ganhar este título. Fizemos uma corrida consistente até aqui. Estamos consistente e com bom conjunto. Diferentemente de em Londres, que se formos lembrar, ganhamos jogando mal pra caramba. Mas no fim reagimos e ganhamos.

Torcedores.com: O Mundial feminino não está tendo reclamação de regulamento, como no masculino, não é?
Ary Graça: Naquela ocasião (masculino), quem reclamou foi Brasil e Rússia. Dessa vez, os times leram o regulamento, e aí fica mais fácil quando se participa e lê regulamento. É mais tranquilo. Além do regulamento, temos o Boletim Diário, onde tudo sai 48h antes. Tem que ler. Se ler, não tem reclamação.

Torcedores.com: Então você discorda das críticas do Bernardinho sobre regulamento? 
Ary Graça: Ele fez críticas inconsistentes. Mas o delegado da competição já mandou o relatório para o Painel Disciplinar, e vão se reunir e examinar estas declarações que ele fez. Tentar saber o que são as atitudes baixas, que ele disse. Naturalmente vai ter que provar quais foram as atitudes. Do contrario, ofendeu a FIVB e ele deverá ser julgado por isso.

Torcedores.com: Como você recebeu aquelas críticas do Bernardinho à FIVB? 
Ary Graça: Eu recebi como um desabafo de quem acabou de perder. Foi natural. Ele não esperava esta derrota, eu mesmo não esperava. Quero lembrar que a Polônia nem se classificou para as finais da Liga Mundial. Evidentemente a derrota causa um aborrecimento, ainda mais para quem esta ali para ganhar.

Torcedores.com: Já está confirmada a Fase Final da Liga Mundial de 2015 no Brasil? 
Ary Graça: Temos uma carta do CBV, solicitando a fase final no Brasil. Porém, ainda preciso que o conselho se reúna e aprove isso aí. O Brasil aceitou todas as condições, então acho que não teremos problemas. Deve ser no Brasil mesmo. Apesar de que o Irã também está querendo, até ofereceu um pouco mais de dinheiro. Mas temos que ver, casos como o da menina que foi presa porque entrou no ginásio na Liga Mundial. O Irã foi muito bem na Liga, foram razoavelmente bem no Mundial. Estão com time bom, tecnicamente bom, e vem despontando nas categorias de base.

Torcedores.com: A FIVB tomou alguma atitude para ajudar a menina?
Ary Graça: Eu mandei uma carta para as autoridades do Irã, explicando que a menina não está envolvida em nada, que ela apenas queria ver um jogo de voleibol. E fiz um apelo que soltem a menina. Ainda não tive resposta, mas a carta já foi enviada. Vão acabar soltando, ela não fez nada. Agora ela iniciou uma greve de fome, e a mãe na Inglaterra também. Isso está tomando uma dimensão maior do que esperava. O COI também mandou um pedido para o Comitê do Irã intervir. As pressões estão ficando muito fortes.

Torcedores.com: Você acha que tem feito um bom mandato na Federação Internacional? 
Ary Graça: Claro. Acho que consegui. Durante minha campanha, eu usei duas palavras: inovação e oportunidade. Já mudamos todas a sistemática interna de competição da FIVB. Criamos controles extraordinários através da tecnologia. Não satisfeito, fomos para a quadra com a tecnologia, com o ‘challenger’ (desafio). É importante, você não pode fazer um investimento de 4 milhões, o juiz se engana e você perde o campeonato. A tecnologia vai definitivamente ajudar em 95% a arbitragem. Com relação às oportunidades, temos como exemplo o voleibol de praia. É mais barato, é prazeroso, e 100% dos países jogam voleibol de praia na Norceca. Na África, 60% já joga na praia. E o interessante é que já implantei um projeto, chamado ‘African Plan’, que são 54 países, e estou fazendo investimento. Gastei um total de 13 milhões de dólares de investimento nas escolas, redes de jogo, estrutura. Este ano o orçamento é parecido para desenvolver o vôlei, principalmente na África e Ásia. Oceania já tem dupla disputando Circuito Mundial. Demos oportunidade e os países estão pegando.

Torcedores.com: Considera, então, uma boa gestão até aqui? 
Ary Graça: O trabalho está sendo feito, está sendo bem feito. É o que a gente esperava. O planejamento para cinco anos, em dois anos já está sendo feito. E já estamos planejando mais cinco. A grande intenção é criar um mercado maior de voleibol. Não adianta ser um esporte famoso em poucos países, até por questão de finanças. Você tem 220 paises participando, o patrocinador vem. Se tivermos só 30, não vem. O patrocinador quer um patrocínio global.

Torcedores.com: Você ficará mais um mandato na FIVB? 
Ary Graça: No fim do mês teremos um Congresso no qual vamos propor ter um mandato igual ao Comitê Olímpico. Seriam oito anos diretos, com direito a uma eleição (mais quatro). Ou seja, 12 anos na presidência. Eu sou candidato, e, por enquanto, ninguém se apresentou para concorrer comigo.

Torcedores.com: E as denúncias feitas contra você e sua administração à frente da CBV? Te atingiram? Como está esta situação? 
Ary Graça: Foram denuncias facciosas politicas, com interesses. Mas como tudo deu errado, o grupo que estava fazendo as denúncias não conseguiu tomar o poder. E ficou claro pela constância de denúncias que virou uma perseguição pessoal a mim e uma tentativa de tomada de poder. Não provaram nada, não trouxeram documentos. Foram todas denúncias levianas. O relatório diz na segunda página que não existe qualquer irregularidade. Fazem comentários de que poderia ser melhorado. Mas tudo, ítem por ítem, mandei resposta para todos os procedimentos. Foi feito e bem feito, e calei a boca de todos.

Crédito da foto: Divulgação



Jornalista formado pela Anhembi Morumbi, fissurado por esportes - especialmente os Olímpicos.