Contrato de Neymar com o Barcelona ainda causa polêmica; veja o que foi revelado

Neymar
Getty Images

Dez meses de depois de derrubar o presidente do Barcelona, Sandro Rosell, a contratação de Neymar ainda causa polêmicas no Brasil e no mundo.

LEIA MAIS
Primeiro gol de Neymar pelo Barcelona é eternizado no museu do clube

Informação publicada nesta quarta-feira (8) pelo Blog do Rodrigo Mattos revela que o jogador fez um contrato a empresa de seu pai, a N & N, que permitia a ele negociar o atacante deixando o Santos, seu então clube, de lado. Com isso, a família do jogador teria levado na transação cerca de 40 milhões de euros, enquanto o Peixe ficou com 17 milhões.

Documentos obtidos pelo jornalista mostram que esse contrato já permitia a Neymar pai organizar a transferência antes mesmo de obter uma liberação pelo Santos. O contrato ainda dizia não haver relação esportiva entre jogador e empresa, para não infringir o regulamento da Fifa por causa do vínculo em vigor com o Santos.

Com a liberação santista, o documento foi modificado, tornando a empresa a detentora dos direitos de Neymar a partir de 2014. O jogador não poderia sequer fechar com qualquer clube sem a aprovação do pai. Se preferisse renovar com o Santos, teria que pagar uma indenização à N & N.

O acordo com o Barcelona foi feito no fim de 2011 e incluía o pagamento antecipado, em forma de empréstimo, de 10 milhões de euros ao pai do jogador. Outros 30 milhões foram prometidos para a confirmação da transferência, em 2014.

Com a venda feita pelo Santos em 2013, o Barcelona pagou esse dinheiro como “multa”. Tudo porque o contrato previa o pagamento em caso de a transferência não ser concretizada em 2014. E não foi, já que acabou antecipada. Mesmo sendo o clube brasileiro dono dos direitos de Neymar, a empresa do pai dele ficou com a maior parte do dinheiro por causa dessa multa.

Essa manobra também permitiu a Neymar pai alegar que não houve um pré-contrato entre jogador e Barcelona em 2011, o que é proibido pelas regras da Fifa. Como empresa, a N & N tinha autorização para operar em nome do atacante e operou. Até uma minuta do contrato foi assinada pelo jogador, antes mesmo de atuar pelo Santos contra o time catalão no Mundial de Clubes em 2011. Neymar pai não quis comentar as informações divulgadas por Rodrigo Mattos.

Outra polêmica que estourou nessa semana, na Espanha, foi o gasto de R$ 900 mil por parte do Barcelona no frete de um avião que levou Neymar e seus “parças”, amigos que acompanharam o brasileiro em sua transferência. O problema é que o clube havia feito uma contenção de gastos que cortou privilégios e luxos de muitos de seus diretores, configurando uma quebra nesse programa que visava melhorar as finanças do clube.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016. Também colabora com o ONDDA, site "irmão" do Torcedores.com.