Atlético-MG se apega na volta do “eu acredito” para eliminar Corinthians

O Atlético Mineiro foi campeão da Libertadores no ano passado de maneira dramática, sob um roteiro espetacular. A história poderá se repetir em 2014 na Copa do Brasil diante do Corinthians.

LEIA MAIS
Se o seu time fosse uma marca de cerveja, qual seria?

Jô pede dispensa de treino e é flagrado na balada

Na Libertadores, a campanha era avassaladora até as quartas de final, quando após conseguir um bom resultado no México, diante do Tijuana, Victor deu início aos milagres atleticanos ao defender um pênalti aos 47 minutos do segundo tempo, para delírio dos torcedores no Independência, que usavam máscaras da “morte”. Quase foram os mineiros quem morreram naquela noite.

Na semifinal, os 2 a 0 sofridos para o Newell’s Old Boys praticamente sepultaram a inédita vaga na decisão. A desconfiança serviu de inspiração para um movimento que até virou livro. O coro de “eu acredito” tomou conta da metade alvinegra de Belo Horizonte e, em meio à tensão e apagão dos refletores, o Atlético-MG despachou os argentinos, novamente com a estrela de Victor nas penalidades.

O favoritismo na decisão era claro, mas todos os tipos de alerta eram colocados em pauta. O Olímpia, um time de camisa e tricampeão da Libertadores voltava ao cenário com força. Tudo isso de nada parecia ter adiantado, e, no Paraguai, um novo revés acontecia, agora por 2 a 0. A sensação era de que não haveria uma segunda chance, porém ao mesmo tempo a fé era mantida, pois o time já havia mostrado poder de reação.

A princípio, a confirmação de que a partida de volta seria no Mineirão não agradou a massa que é apegada ao Independência, local onde a equipe de Cuca não havia perdido um jogo sequer, até então. No entanto, os 20 mil do Horto se triplicaram no gigante da Pampulha e de novo empurraram o Galo para mais uma redenção. Placar revertido e, para não fugir da rotina, a presença de Victor defendendo pênaltis. De alma lavada, o Atlético conquistava um torneio de peso após 42 anos.

Amanhã, o cenário é o mesmo. Derrota por 2 a 0 fora de casa, e a necessidade de reverter em Belo Horizonte. O Corinthians é favorito, mas a história permite que o Mineirão reviva algo parecido com os dias 10 e 24 de julho de 2013.

Relembre as duas partidas da épica conquista atleticana:



Estudante de jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie e alucinado por futebol.