Veja como as partidas de vôlei mudaram nos últimos anos

Quem acompanha o vôlei há muitas décadas sabe o quanto a modalidade mudou com o passar do tempo. E não foram apenas as regras, como a pontuação, o fim da vantagem, entre outras mudanças. O jogo ficou muito mais rápido. A figura do líbero permitiu a especialização de certos jogadores na defesa.

LEIA MAIS
Veja como os uniformes do vôlei mudaram nos últimos 30 anos
Relembre 5 grandes momentos do Mundial masculino de vôlei
Relembre os três títulos mundiais de vôlei do Brasil
Brasil luta para ser o primeiro tetracampeão mundial consecutivo de vôlei

O saque e os fundamentos evoluíram muito. A força e a velocidade nos ataques, principalmente no masculino, agora dão o tom das partidas.

O Torcedores.com separou abaixo alguns vídeos que mostram como o vôlei evoluiu visualmente com o passar do tempo, desde a estreia olímpica em 1964 até os dias de hoje, no Mundial da Polônia.

Jogadas mais lentas em 1964

Perceba como as jogadas são mais desenhadas e até telegrafadas. A bola viaja mais lentamente pelo ar antes de cada um dos três toques.

Vôlei em 1978

O vídeo é apresentado em câmera lenta, mas ainda é possível perceber diferenças na construção das jogadas. Praticamente não havia o blefe no ataque, quando dois jogadores sobem ao mesmo tempo para confundir o adversário, enquanto o levantador decide para quem para quem tocar a bola.

Bloqueio do saque

Ainda nos anos 1980, era permitido tentar bloquear o saque. A jogada era difícil, mas complicava bastante as chances do time que servia, principalmente se pensar que naquela época vigorava a vantagem.

Vôlei Feminino em 1980

Essas imagens da disputa feminina nos Jogos Olímpicos de Moscou-1980 mostram como a bola demorava muito mais para ser trabalhada em três toques. Hoje, praticamente não dá tempo de ver a redonda no ar enquanto as jogadoras tentam derrubá-la na quadra rival. O saque também era muito diferente e praticamente valia mais pelo efeito colocado na bola do que pela força ou velocidade.

Jogo mais rápido – Barcelona 1992

Quando o Brasil ganhou o primeiro ouro olímpico masculino em Barcelona, em 1992, a velocidade do jogo já era bem maior. A movimentação dos jogadores parecia ser auxiliada pelo fim das roupas mais pesadas de antigamente. O desenvolvimento dos fundamentos foi um dos segredos brasileiros para a era de ouro que se instalaria de vez no país anos depois.

Mais velocidade e força nos ataques – 2004

No segundo ouro olímpico, em 2004, já havia a figura do líbero em quadra. Um jogador especializado em defesas foi fundamental para que os times melhorassem suas recuperações de bola e as partidas ganhassem mais ralis. No feminino, a jogadora Fabi sempre foi um referencial nessa posição, mas deixou a seleção recentemente.

Atualmente

Em um minuto de jogo você tem praticamente dois ralis encerrados com pontos definidos. Os ralis ocorrem, graças à presença dos líberos e a um melhor condicionamento dos atletas. O fim das mangas nas camisas ajudou na movimentação dos braços e criação de jogadas. Para perder um lance importante no vôlei atual é só piscar os olhos por um momento.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016. Também colabora com o ONDDA, site "irmão" do Torcedores.com.