Santos comemora 51 anos do bicampeonato da Libertadores

O dia que é conhecido mundialmente pelo triste episódio dos atentados ao World Trade Center pode ter um alento para os torcedores do Santos e também para a história do futebol brasileiro.

LEIA MAIS
TOP 5: Hinos mais legais de clubes do Brasil
Confira quais clubes comemoraram o centenário com título
Polêmicas de arbitragem marcaram o primeiro turno do Brasileirão

Foi justamente em um 11 de setembro, no ano de 1963, que o fantástico time de Pelé, Coutinho, Pepe e companhia derrotou, em plena La Bombonera, o todo poderoso Boca Juniors. A vitória por 2 a 1 deu o bicampeonato da Libertadores a equipe da Vila Belmiro, que havia conquistado o torneio um ano antes, contra o Peñarol-URU.

O jogo foi apenas a quarta partida do Peixe na competição, já que, na época, o campeão da edição anterior estava automaticamente classificado para as semifinais.

Nas partidas antes da decisão contra o Boca, o Alvinegro Praiano empatou com o Botafogo por 1 x 1 no Pacaembu e, no jogo da volta, deu um chocolate por 4 x 0 na equipe que tinha Garrincha, Manga, Nilton Santos, Zagallo e outros craques.

FICHA TÉCNICA – Boca Juniors-ARG 1 x 2 Santos

Gols: Sanfillippo a 1min, Coutinho aos 5min e Pelé aos 37min do segundo tempo.

Local: Estádio La Bombonera, Buenos Aires, Argentina.

Público: 85.000 aproximadamente

Renda: Cr$ 135.000.000,00 ou 16.917.300 pesos

Árbitro: Marcel Albert Bois (França)

Boca Juniors: Errea; Magdalena, Orlando Peçanha e Simeone; Rattin e Silveira; Grilo, Menéndez, Rojas, Sanfilippo e Gonzaléz. Técnico: Aristóbulo Deambrosi.

Santos: Gilmar; Dalmo, Mauro e Geraldino; Calvet e Zito; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula

Foto:Reprodução



Jornalista formado em 2012 pela FIAM e que tem paixão por esportes, destacando-se Futebol, MMA, Basquete e Automobilismo. Foi editor e repórter do Universo dos Sports.