Por que a escola de goleiros do Palmeiras não consegue render?

Palmeiras

Desde a aposentadoria do goleiro Marcos, o Palmeiras tem vivido um verdadeiro drama para conseguir encontrar o novo “santo” do gol alviverde. Fernando Prass, contratado junto ao Vasco, é hoje a melhor opção e o que mais tem a confiança da torcida, porém, o experiente goleiro não é cria da base do verdão, diferente dos contestados Fábio, Bruno e Deola.

Leia mais:
Confira 6 motivos que comprovam que o Palmeiras pode cair
Alan Kardec diz que Palmeiras reduziu três vezes seu salário
Veja quem está na corrida para ser o novo presidente do Palmeiras

Último grande goleiro revelado pelo Palmeiras, Diego Cavalieri ocupou a vaga do camisa 12 durante, praticamente, toda a temporada de 2008, e após belas atuações foi vendido para o Liverpool, da Inglaterra. Hoje é titular do Fluminense e constantemente convocado para defender a seleção. Mas o que Cavalieiri e “São” Marcos, últimas grandes revelações do clube, têm em comum? Ambos foram treinador e preparados por Carlos Pracidelli e Valdir de Morais. Simples.

Não sabe quem foi Valdir de Morais e nem Carlos Pracideli? Vamos te explicar! O primeiro foi goleiro do Palmeiras entre 1958 e 1968, conquistando quatro títulos Brasileiros, três campeonatos Paulista e um Rio-SP. Após encerar sua carreira trabalhou por mais de 20 anos no clube, como preparador e olheiro. Treinou e revelou Marcos, Veloso e Zetti. Já Pracidelli dedicou 80% de sua carreira de preparador de goleiros ao Palmeiras, com três passagens pelo clube (1993 a 2001, de 2007 a 2008 e de 2010 a 2012).

Desde que esses dois experientes profissionais deixaram de trabalhar para o clube, a escola de goleiros do Palmeiras se inferiorizou e não tem rendido mais os mesmos craques como antes. Fábio, ganhou oportunidades nesta temporada, após a lesão de Fernando Prass, mas devido a consecutivas falhas e críticas foi sacado do time titular. Deola era considerado o melhor substituto de Marcos, mas não correspondeu às expectativas e rodou por vários clubes medianos. Bruno herdou a vaga do Deola e foi titular na campanha do bicampeonato da Copa do Brasil, mas depois de falhar, e feio, na Libertadores, perdeu espaço e não deixou saudades.

Por que a escola de goleiros do Palmeiras não consegue render? talvez as melhores e únicas resposta para está pergunta seja Valdir de Maraes e Carlos Pracidelli. O primeiro apesar da idade (82 anos) está desempregado e poderia dar um jeito nos goleiros de base do verdão. Pracidelli chegou ao Coritiba em agosto deste ano, após a contratação do técnico Marquinhos Santos.

Está vendo, nem é tão difícil resolver o problema de goleiros do Palmeiras.

Foto: Reprodução