Oito palavras que só têm significados para os fãs de lutas

Quem é fã de lutas, seja MMA, boxe, judo, entre outras, está mais do que familiarizado com alguns termos complicados e específicos dessas modalidades. Mas quem não curte e resolve entrar nesse universo, muitas vezes precisa de um dicionário para entender tudo.

Não são poucos os termos e palavras de luta que são ditas por narradores ou estão presentes em textos esportivos que, à primeira vista, são incompreensíveis. Até porque a maioria dos termos das lutas são em outros idiomas. E fora desse universo, não têm sentido algum.

Confira oito palavras que só possuem significado para os fãs de lutas:

Jab – Palavra super comum em lutas de boxe e também de MMA. O jab (foto) nada mais é do que um soco de preparação, aplicado com o braço que está à frente, normalmente o mais “fraco” do atleta. Tem como função cansar o adversário, medir a distância e abrir a defesa do rival para socos mais potentes, como o direto e o cruzado.

Clinch – É o famoso agarramento, presente no boxe, no MMA e em outras lutas. No boxe, se assemelha a um abraço, quando um dos lutadores agarra o rival para parar a luta. No MMA, é utilizado para “travar” a movimentação do oponente e para facilitar a aplicação de quedas. No muay thai, o clinch costuma vir seguido de joelhadas no corpo do oponente.

Mata-leão – Não é um remédio ou arma especial para matar leões. Mas sim um estrangulamento. Acontece quando um dos lutadores consegue abraçar o pescoço do adversário a partir das costas e, com os braços, pressionar a região. É uma das raras finalizações com nome em português, diferentemente de armlock (chave de braço), kimura (chave de ombro) e katagatame (triângulo de braço), por exemplo.

Ground and pound – Exclusivo do MMA, o ground and pound ocorre quando um dos lutadores consegue prender o adversário no chão e começa a aplicar diversos golpes, como socos e cotoveladas. Muitas lutas acabam com nocaute dessa maneira.

Striker – O termo em inglês significa “atacante” quando o assunto é futebol. Mas, nas lutas, é usado para se referir a atletas que praticam lutas que utilizam golpes traumáticos, ou seja, chutes e socos. Estão nessa categoria o muay thai, o boxe, o caratê, o taekwondo, entre outras. Portanto, quando alguém falar que determinado lutador é um striker, é porque ele luta melhor em pé.

Grappler – É o oposto do striker. O termo é um utilizado para lutadores que dominam a luta agarrada. Jiu-jitsu, judô e wrestling são os carros chefes dos grapplers.

Sparring – Nas academias, é conhecida como “luva”, ou seja, quando dois lutadores fazem uma luta treino. Entre os profissionais, o termo representa tanto a luta treino quanto o atleta que serve como “modelo” do adversário. Por exemplo: Antonio Carlos “Cara de Sapato”, vencedor da terceira edição do “The Ultimate Fighter Brasil” é sparring de Junior Cigano. O peso pesado costuma ser o parceiro de Cigano nos treinos porque simula as características dos rivais.

Ippon – É comum ouvir o termo “ippon” nas transmissões de judô. É o nocaute desse esporte. Acontece quando um dos lutadores consegue projetar o adversário e fazer com que o rival caia com as costas totalmente no chão ou quando o oponente é imobilizado por um determinado tempo pré-estabelecido.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.