Na Arena Amazônia, estádio da Copa, onde foi parar o tal do padrão Fifa?

arena amazonia

A Copa do Mundo acabou e muito se discutiu sobre o legado que o torneio deixaria no país. Em questão de infra-estrutura já sabemos que, com a exceção de muitas obras inacabadas, pouco coisa de útil ficou para trás.

No futebol, no entanto, os ganhos foram um pouco maiores, já que as novas arenas estão por aí a disposição dos grandes clubes do Brasil. Mas, na prática, não é bem assim, pois o padrão-FIFA de qualidade nos estádios parece que foi embora com a Copa.

Na partida entre Oeste e Vasco, disputada nesta terça-feira (16), dois fatos chamaram a atenção: o gol irregular marcado pela equipe paulista e a latinha de cerveja atirada em Fábio Santos durante a comemoração.

Com relação à bola que não entrou a questão é muito simples: durante a Copa, os estádios dispuseram da tecnologia para discernir quando a bola ultrapassaria a linha de gol ou não, mas, ao que parece, embora esta tecnologia devesse ficar na Arena, ela não ficou. Após o Mundial, o que se vê é apenas a carcaça de um estádio moderno, já que a tecnologia que deveria fazê-lo ser assim não está lá.

O outro ponto que merece a nossa atenção é a latinha de cerveja arremessada em Fábio Santos. Tanto antes da Copa do Mundo, quanto após a competição, é proibido o consumo de bebidas em latinha dentro dos estádios de futebol. O consumidor, ao adquirir o produto, o recebe em um copo de plástico, pois o vendedor é obrigado a transferir o liquido da lata para este copo. Durante o Mundial, isso ficou evidente, mas após ele, não, conforme o caso de Fábio Santos, do Oeste, nos mostra.

Nesta terça (16), na Arena Amazônia, estádio da Copa do Mundo FIFA 2014, não se viu a manutenção do padrão-FIFA como legado da competição.

Foto: Reprodução