Com convocações, Dunga e Gallo deixam time sem goleiro; entenda

Convocações
Getty Images

Como  se já não bastasse a incompatibilidade do calendário do futebol brasileiro com as datas-FIFA, desta vez a CBF conseguiu se superar. Ao colocar as seleções principal e de categorias de base para jogar em dias semelhantes, a entidade corre o risco de ter o mesmo atleta convocado para defender os dois times (como ocorreu recentemente com o zagueiro Marquinhos, do PSG), mas desta vez não foi isso o que aconteceu.

LEIA TAMBÉM
Convocação de Dunga beneficia o São Paulo na briga pelo título

Dunga apresentou em sua lista o nome de Jefferson, goleiro do Botafogo, para defender a camisa verde e amarela nos dias 11, contra a Argentina, e 14, contra o Japão. Sem seu goleiro titular, o Botafogo teria que recorrer ao reserva imediato que, como identificado na última oportunidade em que isso aconteceu, foi Andrey. Acontece que o goleiro também foi convocado por Gallo e defenderá a seleção sub-21 contra o time principal da Bolívia, dia 10 de outubro, na Arena Pantanal, em Cuiabá, e no dia 13 do mesmo mês, em outra partida com adversário e local a ser definido.

Com essas convocações, Dunga e Gallo deixam o Botafogo sem seu goleiro titular e o reserva imediato para as partidas pelo Campeonato Brasileiro, contra Palmeiras (08/10) e Corinthians (11/10), e, provavelmente, pelo jogo da volta na Copa do Brasil contra o Santos (16/10). Dessa forma, Renan e Helton Leite devem disputar a vaga para defender o Glorioso em um momento complicadíssimo na temporada.

Essa, no entanto, é só mais um entre os muitos desfalques que a insistência da CBF em manter o calendário brasileiro funcionando em datas-FIFA provoca. Enquanto todo o planeta cessa suas atividades para acompanhar os jogos das seleções, o Brasil se coloca em uma posição antagônica e, para não prejudicar alguns interesses, mantém os jogos do seus campeonatos nacionais como se nada estivesse acontecendo.

Foto: Getty Images