Veja o que a contratação de James representa para o Real Madrid

real
James Rodríguez - Ai se eu te pego

Antes mesmo do término da Copa do Mundo de 2014, o Real Madrid já se encontrava no centro de alguns rumores sobre contratações de jogadores, como sempre ocorre na abertura do mercado de transferências.

O primeiro nome que surgiu como quase certo – o que veio a ser confirmado oficialmente ao final do mundial – foi o de Toni Kroos, titular absoluto do meio-campo da seleção alemã e então jogador do Bayern de Munique, pelo valor de 20 milhões de euros.

LEIA MAIS
Luiz Adriano tem tudo para ser um novo Diego Costa

O baixo valor da negociação, considerando-se o enorme talento e potencial do jovem jogador de 24 anos, deve-se ao fato de que o seu contrato com o Bayern se encerraria no final da temporada 2014/2015, o que culminaria com a sua saída de graça.

Na sequência, os rumores partiram de Munique, na Alemanha, para Mônaco, na França. Segundo notícias de diversos veículos de comunicação, o Real Madrid concentrou todas as suas forças no artilheiro da Copa do Mundo do Brasil, James Rodríguez, camisa 10 da Colômbia e um dos destaques da equipe do Mônaco.

Os rumores foram se intensificando, até que o Real Madrid, na semana passada, confirmou a compra de James Rodríguez pela exorbitante quantia de 80 milhões de euros.

Desconsiderando o valor acima da média pago pelo James Rodríguez, que, apesar de muito bom jogador, foi negociado por um preço acima do que realmente vale, cabe analisar as reais necessidades das duas principais contratações feitas pelo Real Madrid.

Analisando o elenco merengue, nota-se uma superlotação de jogadores no meio de campo. Além de James Rodríguez e Kroos, recém-contratados, o Real conta com Gareth Bale, Angel Di Maria, Modric, Isco, Illarra, Khedira e Xabi Alonso.

Começando pela base do meio-campo, o Real Madrid agiu muito bem ao contratar Toni Kroos. O motor do meio de campo da Seleção da Alemanha é um volante moderno, que marca e ataca com grande qualidade, além de possuir ótimos passe e poder de finalização, o que o torna ideal para substituir um Xabi Alonso, que começa a sentir o peso da idade com alguns problemas físicos. Além de Alonso, Kroos suprirá as constantes ausências de seu companheiro de seleção, Sami Khedira, que também se contunde com certa frequência.

Quem sai perdendo com a contratação de Kroos são os ótimos e jovens Illarra e Isco, que tinham tudo para assumir um papel de maior protagonismo nesta temporada, porém certamente terão seus minutos em campo reduzidos com a nova contratação para o meio-campo.

Já a segunda contratação do Real Madrid, James Rodríguez, por incrível que parece, mostra-se menos necessária do que a de Kroos. Isso porque, apesar de se tratar de um jogador de grande talento, ele joga em uma posição repleta de jogadores talentosos e que terminaram muito bem a temporada.

James Rodríguez é um meio-campo ofensivo que joga tanto pelo centro quanto pelos lados do campo, podendo, portanto, atuar nas posições em que jogam Di Maria, Bale e Ronaldo.

Considerando a forma como o Real Madrid joga, com jogadores de muita velocidade pelos lados do campo, dificilmente Bale e Ronaldo perderão seus lugares no time titular, salvo em razão de alguma lesão. Portanto, quem sairá perdendo com a contratação de James Rodríguez é Angel Di Maria, justamente o jogador que melhor atuou da metade em diante da temporada passada, em especial nos jogos decisivos da Champions League.

Com Cristiano Ronaldo longe da forma física ideal, Di Maria assumiu o protagonismo na equipe do Real Madrid, e acabou por se destacar em todos os jogos importantes na UCL, seja marcando gols, seja dando assistências.

Sem as atuações de Di Maria, dificilmente o Real Madrid teria avançado ate à final da UCL e, consequentemente, ganhado La Décima em cima do Atlético de Madrid, seu rival na capital espanhola.

Assim, a pergunta que fica é: até que ponto vale sacrificar um jogador jovem, talentoso, voluntarioso, ambientado com o clube, esquema tático e que já provou conseguir assumir o protagonismo numa equipe em que a torcida e a imprensa cobram exageradamente, por outro que, mesmo sendo considerando muito talentoso, ainda precisa mostrar que pode atuar em alto nível por um gigante do futebol europeu.

Além disso, é importante destacar que as atuações de James Rodríguez certamente não chamaram apenas a atenção do Real Madrid, que o contratou, mas também das demais equipes do futebol europeu, que certamente marcarão com mais afinco o camisa 10 colombiano, que deverá provar ser um jogador capaz de jogar de forma diferenciada diante de marcações muito mais poderosas e intensas.

Portanto, analisando o elenco merengue, concluiu-se que a contratação de Toni Kroos se mostrou mais acertada do que a de James Rodríguez, cuja compra parece entrar naquela cota de galáticos de Florentino Pérez, Presidente do Real Madrid, que visa saciar a mídia, bem como dar uma resposta aos rivais, em vez de focar nas reais necessidades da equipe, como, por exemplo, a zaga e as laterais.

De qualquer forma, o Real Madrid vem mais forte do que nunca para, quem sabe, lutar pela reconquista do título espanhol e pelo décimo primeiro título da Champions League, para se isolar ainda mais no posto de maior campeão europeu de clubes.

Foto: Getty Images



Suposto entendido, analista e comentarista. Porém, simplesmente apaixonado pelo esporte mais popular e fascinante do planeta: o futebol!