Os destaques do Brasil sub-20 que podem estar na Copa de 2018

Getty Images

A Confederação Brasileira de Futebol deixou claro em entrevistas recentes que almeja forjar parte da seleção ligando o trabalho feito nas categorias de base, comandas por Alexandre Gallo, com o time principal, treinado por Dunga. Deste modo, busca-se ter uma continuidade de filosofia e integrar o passado com o presente da camisa canarinho.

Seguindo essa linha de raciocínio, é possível que alguns dos garotos convocados para o Torneio de Cotif, que começa em 10 de agosto, na Espanha, integrem o time que lutará pela medalha de ouro nas Olimpíadas do Rio de Janeiro e, até mesmo, esteja na Rússia em 2018, defendendo as cores verde e amarelas.

Sendo assim, quais das promessas da seleção sub-20 chamadas nesta terça-feira por Gallo que mostram com mais possibilidades de estarem sob o comando de Dunga em 2018?

Marlon (Fluminense): Zagueiro que faz parte do elenco principal do tricolor carioca, Marlon fez sua estreia esse ano e deu conta do recado. Alto, forte, com explosão e boa técnica, o defensor atendeu as expectativas do técnico Cristovão Borges e é apontado nas Laranjeiras como um novo Thiago Silva;

Danilo (Braga-POR): Revelado nas categorias de base do Vasco da Gama, Danilo chegou a atuar pelo profissional esse ano antes de se transferir para Portugal. Na Europa, o jogador busca ganhar destaque até ser contratado por um clube de maior porte, tendo grandes chances disso acontecer em razão de sua boa técnica e excelente visão de jogo como se espera de um volante moderno;

Kenedy (Fluminense): Seja como meia ou como atacante, Kenedy chama a atenção pelo porte físico, mas se engana quem apenas enxerga nisso sua principal característica, pois o garoto é dono de muita habilidade;

Mosquito (Atlético-PR): Um jogador de raro talento com a bola nos pés que não se intimada perante os adversários, apesar de seu porte físico pequeno. Mosquito foi disputado por Vasco e Atlético-PR ainda nas categorias de base e optou por defender o Furacão. Nas primeiras partidas que fez como profissional pelo rubro negro paranaense, não decepcionou e agora espera repetir o sucesso na seleção;

Talles (Vasco): Titular no Vasco, Thalles é um jogador de muita força física e que tem boa presença de área. Com personalidade, o atacante conquistou espaços e vem de um título importante pela seleção sub 21; e

Gabriel (Santos): Apelidado de Gabigol, o garoto é uma das apostas do Santos para manter a tradição de revelar craques, como fez recentemente com Robinho e Neymar. Entre os profissionais, Gabriel não manteve o mesmo nível que nas categorias de base, mas tem muito potencial e pode ser uma peça importante na reformulação da seleção brasileira.

Crédito da foto: Getty Images