Clubes brasileiros não aprenderam nada com a humilhação da Copa

Getty Images

Três semanas atrás, o Brasil sofreu a maior humilhação da sua história ao ser massacrado pela Alemanha, EM CASA, durante uma Copa do Mundo. Voltamos a discutir mudanças estruturais no futebol brasileiro.

Na lanterna, o Flamengo recorreu recentemente a um dos recursos mais ultrapassado que existem no futebol: demitir um treinador. Pior: dois jogos depois da parada da Copa do Mundo, quando o antigo técnico, Ney Franco, ficou UM MÊS treinando o grupo.

Calma que o Flamengo ainda fez pior: vai pagar uma enorme quantia mensal para trazer nada mais nada menos que Vanderlei Luxemburgo de volta ao mundo do futebol. Luxa tem méritos? Claro que tem, os resultados estão aí. Mas não representa modernidade alguma. Tanto que desdenhou dos que disseram que a última Copa trouxe inovações táticas.

Aí vem o Grêmio, para não sentir inveja do Flamengo, e faz praticamente o mesmo: deixa Enderson Moreira treinar por um mês o grupo e demite após três jogos disputados.

O Grêmio copiou o Flamengo até no estilo do novo comandante: ultrapassado. E pior: foi o mesmo que levou um baile da Alemanha por 7 a 1 e culpou o acaso. Ele mesmo: Luiz Felipe Scolari.

Os clubes brasileiros não aprenderam nada com a humilhação da Copa.

Crédito da foto: Getty Images



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com