Opinião: Vandalismo está destruindo o futebol, literalmente

A diretoria do Palmeiras terá de pagar R$ 45.150 ao Corinthians por causa de vândalos que vestem a camisa do clube, que quebraram 258 no setor destinado aos visitantes no Itaquerão, estádio do Corinthians. São atos de vandalismo como esse que ajudam a destruir, literalmente, a qualidade do futebol brasileiro.

É claro que não é só isso. Uma cadeira quebrada em um estádio padrão Fifa não acontece porque o nível do futebol apresentado é ruim. O problema é a cultura que já está instalada na cabeça dos torcedores.

Os assentos foram depredados por serem da equipe rival. Dois palmeirenses foram identificados por meio de postagens feitas em redes sociais. Um deles escreveu: “Estádio lixo. Quebrei mesmo.”, enquanto o outro postou “Seu estádio, meu entulho”. O que dizer?

A conclusão, triste por sinal, é de que o torcedor brasileiro não está preparado para estádios “padrão Fifa”, isto é, com lugares marcados, cadeiras, tudo bonitinho. Bom mesmo era dos tempos em que as arquibancadas eram de concreto e havia a geral, dizem alguns. Torcedor gosta de ficar em pé, certo? Sentar em estádio? É logo chamado de acomodado.

O Derby foi o primeiro clássico sediado no Itaquerão, domingo (27), válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.  Saldo do duelo? Vandalismo e vitória por 2 a 0, que manteve o time na vice-liderança do Campeonato Brasileiro.

Certamente, haverá volta no jogo de volta, ainda mais se acontecer no novíssimo Allianz Parque, o novo Palestra Itália. Corintianos vão quebrar cadeiras para “dar o troco”. O que vai gerar um ciclo vicioso e infeliz.

O vandalismo ganhou do bom senso (não estamos aqui falando do Bom Senso F.C.). E quem perde somos todos nós, torcedores e amantes do futebol.

Foto: Reprodução/Instagram



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.