Opinião: Seleção comemora centenário com presente de grego chamado Dunga

A seleção brasileira completou 100 anos de história na segunda-feira (21). E, no dia seguinte, deu aos torcedores um verdadeiro presente de grego: a confirmação de que Dunga seria o treinador da equipe até a Copa do Mundo de 2018.

DESTAQUES
Dunga é o cara certo, na hora errada
Entenda por que Tite não foi escolhido para o lugar de Felipão
Para Tite, restou o chimarrão e a TV
E agora, Tite? Dunga na seleção complica o gaúcho

Quando todos esperavam Tite ou Muricy Ramalho, ou até sonhavam com um estrangeiro como Pep Guardiola ou José Mourinho, a CBF armou o retorno do ex-volante. Capitão do tetra da Copa do Mundo de 1994, Dunga chegou para resgatar a confiança dos jogadores. Quebrar a imagem de time chorão, cujo maior símbolo foi o zagueiro Thiago Silva, para transformar o Brasil em “time de macho”.

Tática, que é bom, nada de novo. Evolução de jogo? Sem novidades por enquanto. E a tão necessária modernidade do futebol brasileiro segue como o presente não entregue, aquele tão sonhado e que acaba frustrando a quem deseja. Principalmente quando a razão para Tite, por exemplo, não ser o escolhido passa pela politicagem.

Dunga não terá vida fácil. Embora admita que pegou pesado com os jornalistas na primeira passagem pela selecção, entre 2006 e 2010, o treinador não deve abrir concessões, o que é bom e justo. Mas afirmou que não se importa com a opinião pública. Sobre a rejeição de cerca de 80% a seu nome, o treinador afirmou que espera “ter 1% da paciência e sabedoria de Nelson Mandela para mudar isso”. E que “a pesquisa está aí para ser derrubada”. Vindo de um técnico que, às vésperas da Copa de 2010, se recusou a convocar Neymar e Ganso, em excelente fase, é difícil de acreditar em mudança.

Dunga pode até ser um bom técnico, mas sua chegada à seleção é um balde de água gelada a quem esperava nomes mais qualificados e com mais currículo. É um presente de grego e mais uma mancha da história, que está ficando menos gloriosa, da centenária CBF.

Foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.