Opinião: Primeira versão dos “galácticos” do Real Madrid era melhor

Que o Real Madrid está montando um timaço para a temporada 2014/2015, ninguém duvida. Além de Cristiano Ronaldo, melhor jogador da atualidade, o clube contratou os dois melhores atletas da Copa do Mundo: o alemão Toni Kroos e o colombiano James Rodríguez. Mesmo assim, a nova geração dos galácticos é inferior à primeira leva.

No início dos anos 2000, o Real montou um verdadeiro esquadrão. Casillas, Roberto Carlos e Raúl já eram jogadores “da casa”. E o que já era bom ficou ainda mais interessante quando desembarcaram no Santiago Bernabéu gente como o português Luis Figo (em 2000), o francês Zinedine Zidane (em 2001), Ronaldo Fenômeno (em 2002) e o inglês David Beckham (em 2003). Era tanta gente boa que Zidane jogou com a camisa 5 (que foi recusada anos mais tarde por Kaká), Ronaldo, de início ficou com a 11 (a 9 era de Fernando Morientes) e Beckham pegou a 23, afinal a 7 era do ídolo Raúl. Figo era o 10.

Vale lembrar que essa equipe conquistou a Liga dos Campeões de 2001/2002, a última antes da última temporada. Campeonatos Espanhóis foram o de 2000/2001, 2002/2003 e 2006/2007 (este último, com Ronaldo e Beckham).

Já a leva atual é excelente. Cristiano Ronaldo dispensa comentários, assim como o supervalorizado galês Gareth Bale, o lateral brasileiro Marcelo e o francês Benzema. O que é bom ficará ainda melhor com Kroos e James Rodríguez. Mas falta o equilíbrio dos primeiros galácticos, mais experientes, tarimbados e, por que não dizer, estrelados? James e Kroos são jogadores que gigantesco potencial. Mas não têm o peso de Zidane ou Ronaldo Fenômeno. Cristiano Ronaldo, sim, já está no patamar dos anteriores.

Os galácticos 2014 prometem e muito. Provavelmente farão o Barcelona ver navios em mais uma temporada. Mas ainda não estão no nível dos primeiros galácticos. Vejamos até onde os novos galácticos podem chegar.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.