Opinião: Ochoa caberia em vários clubes brasileiros

Você se lembra do goleiro mexicano Guillermo Ochoa? O camisa 13 da equipe tricolor fechou o gol do país e garantiu o empate de seu país por 0 a 0 com a Seleção Brasileira na fase de grupos na Copa do Mundo. Pois saiba que ele ainda está sem clube.

Ochoa tem 29 anos. Seu último time foi o Ajaccio, da França. Mas antes mesmo da Copa o goleiro deixou o clube e vem treinando por conta própria. O nome do jogador foi ventilado no Málaga, da Espanha, mas o negócio pode não acontecer.

Caso queira mudar de ares e jogar na América do Sul, Ochoa terá muitas portas abertas no Brasil.

Nos clubes paulistas, ele seria bem vindo, pelo menos, no São Paulo e no Palmeiras. Rogério Ceni, capitão e ídolo do Tricolor, já anunciou que se aposentará no fim do ano. No Verdão, Fábio vai ganhando espaço com Ricardo Gareca, mas ainda é uma promessa. Situação diferente de Corinthians e Santos, onde Cássio e Aranha já estão consolidados (mas nem por isso o mexicano não se firmaria).

No Rio, o Flamengo seria a melhor opção. Com Felipe fora do time, Ochoa seria titular com certeza, embora Paulo Victor seja bom goleiro e esteja ganhando espaço. No Botafogo e no Fluminense, a briga seria mais parelha com Jefferson e Diego Cavalieri. Mas o mexicano entraria com fortes chances de ser titular. E no Vasco, que disputa a Série B, Ochoa se garantiria na disputa pela posição com o uruguaio Martín Silva.

Em Minas, o buraco é mais embaixo. Victor, do Atlético-MG, e Fábio, do Cruzeiro, são ídolos e praticamente intocáveis em suas equipes. Ochoa chegaria para disputar posição, não para jogar imediatamente. Melhor procurar outro Estado.

E o Rio Grande do Sul pode ser uma opção. Aos 40 anos, Dida já deve largar a meta do Internacional. E Marcelo Grohe não ofereceria resistência a Ochoa.

Ochoa tem espaço em muitos clubes do país. A bola está com o arqueiro mexicano e com os empresários.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.