Opinião: Nem Guardiola salva o Flamengo

A situação do Flamengo no Campeonato Brasileiro é tão ruim que nem se o espanhol Pep Guardiola fosse o treinador as coisas iria melhorar. Não adianta: o time é horroroso e, se não chegarem reforços, a queda para a Série B será inevitável.

Guardiola, José Mourinho, Jorge Sampaoli… Todos esses são excelentes técnicos. Mas treinador de futebol não é milagreiro nem entra em campo. Não faz nem evita gols. Então, não seria com um desses nomes badalados que a situação iria se solucionar. Mas, certamente, seria menos pior.

Com um desses no comando, o time jogaria melhor e teria mais padrão tático. Pelas condições humanas e momento na tabela, seria tarefa heroica escapar da degola. Mas, ao menos, haveria esperança.

Acredito que o Flamengo está do jeito que está por uma série de motivos. O primeiro é a direção do futebol. Os cartolas contrataram mal. O time, que já não era essas coisas, piorou muito em relação ao ano passado. Saiu Elias, principal jogador, e veio Elano, que não encaixou. Faltam bons jogadores em todos os setores. Os poucos que se salvam já estão com idade avançada. Assim, não há técnico e muito menos camisa que de jeito.

Além disso, há a política de contenção de gastos. A dívida milionária do Rubro-Negro, de fato, diminuiu. Mas o futebol foi pelo mesmo caminho e os salários continuam atrasados. Como motivar uma equipe que está no limpo sem o maior incentivo possível no mundo da bola? O amor à camisa deixou de existir há muito tempo.

O cenário na Gávea é de caos. Terra arrasada. Jogadores são agredidos pela torcida. O clima é de medo, pressão. Técnicos têm vida curta. E Luxemburgo já começa com a faca no pescoço, afinal domingo é dia de clássico contra o Botafogo.

Guardiola não é a solução para o Flamengo. O rebaixamento, tal foi com o Corinthians, talvez seja.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.