Nota zero para eles: Ponte e Vasco empatam em jogo ruim

Vasco

Ponte e Preta e Vasco se enfrentaram no Moisés Lucarelli, em Campinas, em jogo válido pela Série B do Brasileirão. Diferente do que aconteceu no meia da semana pela Copa do Brasil, dessa vez o Gigante da Colina não conseguiu envolver o adversário e, como a Macaca abusou de perder chances de gol, o placar não saiu do zero a zero. Pior para as duas equipes que continuam em posição intermediária da tabela.

Primeiro tempo de dar sono

Os minutos iniciais se caracterizaram por uma partida disputada, em que a Ponte Preta buscava atacar por meio de bolas enfiadas para os velozes atacantes Edno e Rafael Costa, mas que acabavam sendo vetados pela linha de impedimento montada pela defesa vascaína. O Vasco, por sua vez, tentava desmantelar a defesa adversária através do toque de bola, porém, sem muito sucesso ante a dificuldade no último passe.

LEIA TAMBÉM
Risco de fraudes atrasam eleições no Vasco

Com erros de ambos os lados, o jogo ficou amarrado e o primeiro chute a gol só aconteceu aos 14 minutos, em finalização sem perigo de Edno. O Vasco, no entanto, respondeu melhor com Fabrício em arremate de longa distância que assustou o goleiro Roberto e com Aranda, aos 17, em cabeçada perigosa após cruzamento de Carlos César.

Embora até a metade do primeiro tempo a chance mais perigosa tenha sido do Vasco, foi a Ponte Preta quem cresceu na partida e desperdiçou duas oportunidades para abrir o placar. Aos 24 minutos, Adrianinho driblou Guinazu e, colocando a bola entre Douglas Silva e Diego Renan, serviu Rafael Costa que bateu fraco e Martín Silva defendeu. Aos 27, foi a vez de Élton ganhar bola de Diego Renan, invadir a área e chutar para fora na saída de M. Silva.

Sem aproveitar as chances que teve, a Macaca voltou a se retrair e o Vasco, com pouca objetividade, retomou o controle do jogo e assustou aos 35 com Douglas em cobrança de falta que passou rente ao travessão de Roberto.

O Vasco teve mais posse de bola da etapa inicial, contudo, a boa marcação da Macaca no meio campo reduzia os efeitos da troca de passe. Se não fossem algumas finalizações de fora da área sem perigo e um raro espaço que Carlos Cesar encontrou na linha de fundo para cruzar, o Gigante da Colina não teria ameaçado a Ponte Preta. A Macaca, por sua vez, teve as melhores chances mesmo que seu objetivo principal tenha sido neutralizar as investidas cruzmaltinas.

No segundo tempo, faltou a Macaca colocar o pé na forma

Para o segundo tempo, a Ponto voltou ligada e antes do primeiro minuto já ameaçou em contra-ataque puxado por Rafael Costa nas costas de Diego Renan, mas a finalização de Alef foi muito mal executada e passou longe da meta de M. Silva.

Com mais disposição, as duas equipes aumentaram o ritmo do jogo no que se refere à vontade, mas reduziram a qualidade técnica que já era escassa. O Vasco, inclusive, só obrigou Roberto a fazer sua primeira defesa no jogo aos 20 minutos da etapa complementar, quando Aranda arriscou de fora da área.

Com o final do jogo se aproximando, a Ponte Preta, por jogar em casa, passou a se lançar mais ao ataque e quase marcou aos 26 com Alexsandro, em cabeçada perigosíssima após cruzamento de Juninho, com Gilvan aos 28, em arremate de cabeça defendido por M. Silva, e com Alexsandro aos 34, mas outra vez a finalização saiu errada.

O Vasco respondeu aos 27 com Fabrício em chute de dentro da área, mas defendido por Roberto com segurança, bem como em cabeçada de Douglas Silva aos 36, em que Roberto fez a defesa mais complicada da partida.

Na segunda etapa, a Macaca foi melhor e só não saiu com o resultado favorável pela falta de pontaria de seus jogadores. Aos 40, Cafu fez boa jogada pela esquerda e acertou um bom chute que M. Silva espalmou para escanteio. Aos 46, ocorreu a chance mais clara do jogo. Adrianinho cobrou falta e Juninho completou no travessão, no rebote Alef bateu mal e, sem goleiro, chutou para fora.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 0 X 0 VASCO

Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data-Hora: 26/7/2014 – 16h20
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Adson Márcio Lopes Leal (BA)
Público/renda:  3.622 pagantes / R$ 57.882,00
Cartões amarelos: Rafael Costa (Ponte Preta); Thalles, Luan (Vasco)

PONTE PRETA: Roberto, Juninho, Tiago Alves, Gilvan e Bryan; Adilson Goiano, Alef, Elton e Adrianinho, Edno (Cafu, intervalo) e Rafael Costa (Alexandro, 24’/2ºT) – Técnico: Parraga.

VASCO: Martin Silva, Carlos César (André Rocha, 22’/2ºT), Luan, Douglas Silva e Diego Renan; Guiñazú, Fabrício, Aranda e Douglas (Rafael Silva, 40’/2ºT); Kléber e Thalles (Edmilson, 24’/2ºT) – Técnico: Adilson Batista.

Foto:Marcelo Sadio/Vasco.com.br