Opinião: Não há culpados na saída de Ronaldinho

Getty Images

Sempre que algo ruim acontece em nossa vida, danamos a procurar um culpado. É absolutamente normal. Afinal, precisamos arrumar uma forma de amenizar a frustração e a decepção por algo que não deu certo. No futebol, essa tendência é ainda maior, pois a paixão que envolve faz alguns perderem a razão.

E para não fugir a regra, parte da torcida atleticana está elegendo Levir Culpi como possível culpado pela saída de Ronaldinho Gaúcho. Acho que é um pouco precipitado, pois Ronaldinho já vinha saindo do Atlético há tempos. Esse ano, o jogador não fez sequer uma partida que lembrasse o R49 ou o R10 da primeira fase da Libertadores.

Por várias vezes, era possível perceber o craque disperso em campo e por mais que se esforça, não conseguia repetir aquele bom futebol apresentado nos anos anteriores. Esse ano, ele pouco jogou. No Brasileiro, foram duas partidas, levando em conta que se recuperava de lesão, é claro. Contudo, tendo entrado em campo duas vezes, contra Corinthians e Grêmio, o jogador chutou apenas duas vezes ao gol. Muito pouco para um atleta como ele.

Não quero aqui parecer ingrato, ou dizer que ele já não é mais o Ronaldinho, por que como o Kalil não foi louco de recusá-lo. Eu não sou maluco de desmerecer um jogador como o R10. Mas penso que o tempo dele no Galo já havia se acabado e por escolha dele, assim como foi a rescisão contratual.

A torcida e o Atlético são muito gratos a esse jogador Fantástico – com F mais que maiúsculo – porém nenhum jogador é eterno, e daqui algum tempo outro atleta brilhante aparecerá para vestir a camisa do Galo, isso é se ele já não estiver no elenco, Tardelli pra mim é outro gênio.

Acredito que não há outro culpado senão o tempo, que faz tudo perecer e chegar ao seu final. O ciclo de Ronaldinho se fecha como jogador, mas como torcedor o ciclo dele é como o nosso. Nós somos, pertencemos, fazemos parte do Clube Atlético Mineiro.

Obrigado R10!

Crédito da foto: Getty Images