Minha primeira grande trilha no Torcedores.com

Meu dia foi muito tranquilo, cheio de coisas boas para contar. Fui numa trilha até a Floresta da Tijuca às 6h. Felizmente tenho uma carteirinha de amigo do parque, então em vez de chegar às 8h, prefiro chegar mais cedo.

Estava escuro, não dava para ver as árvores, as plantas e as folhas, porém dava para ver os vaga-lumes piscando como numa sinfonia. Passei pela famosa cachoeira do parque, agradeci como sempre faço e comecei a andar.

Infelizmente, meus ligamentos do pé estavam comprometidos, apesar de ter colocado gelo e tomado remédio um dia antes. Estava um pouco receoso de começar a sentir dor. Mas a trilha me puxa para um astral tão bom, que não liguei para isso. Fui assim mesmo, como um pequeno, infante e juvenil garotinho.

No decorrer da noite para o dia, pude ver a floresta tomando uma outra forma totalmente interessante. Os pássaros começaram a cantar e os micos pulavam de galho em galho fazendo aquela fuzarca gostosa de se ver. Começou a nascer o sol e pude ver as luzes singelas por entre as copas das árvores.

Tenho várias maneiras de subir a floresta até o início das grandes trilhas como a do Pico do Papagaio, Pico da Cocanha e Pico da Tijuca. Mas, obvio, que fui pela mas longa. Pelo Restaurante Esquilo, apesar de ter um nome tão sugestivo e lindo, como um bom e tímido Chef de Cozinha, ainda vou me aprofundar mais na culinária do local.

Uma caminhada puxada, mais bem agradável. Passei pela grande Fazenda do Parque da Tijuca. Um dia vou postar a casa abandonada, onde as janelas não possuem paredes. Um lugar lindo e interessante para se conhecer.

Passei pela grande banheira e seu famoso leão. Estava um frio danado, nunca iria me molhar naquela água gelada. Estava batendo, no relógio da Praça do Alto, 12 graus. Estava sem casaco, mas eu me aquecia pela velocidade que meu corpo esquentava nas subidas.

Passei pela pequena Cachoeira e pelas grutas, bem mais acima. Um dia vamos lá para mostrar as Grutas do Morcego, só não posso deixar de levar uma lanterna. O sol quase não entra nessa gruta.

Continuei subindo e fazendo meus vídeos de Cícero, Padre Antônio Vieira, Coco Chanel e outros. Foi uma manhã proveitosa para mim. Passei pela Vista do Almirante e fiquei sonhando o dia que iria subir no Pico da Gávea. Enfim… sonhos são sonhos.

Continuei andando e cheguei até o posto avançado dos grandes picos. Mas minha perna não estava muito legal, não ia conseguir andar até o Pico da Tijuca e depois voltar. São 5,6 km de pura adrenalina, pedras e mais pedras. Então, decidi voltar pelo mesmo caminho de ida.

Na volta pude ver os furos ou alguma coisa que não me lembro o nome, que escavam as terras atrás de insetos. Vivem em bando e atacam as lixeiras. Pude ver um esquilo, que não tive coragem de tirar uma foto, pois só queria observar as subidas e descidas de uma árvore para outra.

Ir na Floresta da Tijuca e não subir uma trilha, é muito estranho para mim. Um cara que adora trilha, era uma recusa gigante para o meu orgulho. Como no meio do caminho havia algumas trilhas mais tranquilas, decidi subir. Não iria deixar de fazer o que eu gosto, não é?

Fui até o Mirante da Cascatinha, para ver a queda da cachoeira e depois fui até a Capela Mayrink. Estava ventando muito, parecia que as árvores iriam começar a cair. Mas fui, firme é forte. Fiz um vídeo bem legal do Mirante da Cascatinha. O céu estava lindo, pássaros voando e um verde sensacional. Tirei algumas fotos e desci pela Capela Mayrink. Um pouco sem vegetação e muitas arvores caídas, mas interessante, pois era uma paisagem diferente das demais.

Desci até a Capela e fui andando até a grande Cachoeira. Era uma coisa tão linda de se ver, pois é muito bonito o que o Rio de Janeiro pode oferecer. São trilhas maravilhosas e que quase ninguém conhece. Foram 13 km de pura satisfação e alegria. Tenho certeza que falarei muito mais sobre trilhas. Um lado bem legal de ver como é a Natureza.



Minha história: Não quero fazer jargão, pois nem sou um escritor. Infelizmente operei meu coração e tive 2 AVC's. Foi duro! Mas venci! Tenho problemas? Nenhum. Absolutamente, sou um cara normalíssimo. Faça! Conquiste! Corra na frente! É isso que faço sempre e é isso que me mantem vivo constantemente.