Hamilton afirma que foi contratado apenas para correr

Getty Images

Durante o GP da Hungria no último final de semana, Lewis Hamilton recebeu uma ordem da equipe para deixar seu companheiro, Nico Rosberg, ultrapassá-lo. Porém o britânico não se importou e continuou com seu ritmo. 

Ele havia recebido o pedido porque o alemão estava com pneus mais novos e seria bem mais fácil de Rosberg alcançar Ricciardo e Fernando Alonso, primeiro e segundo colocados respectivamente. Em entrevista para o jornal inglês MotorSport, Lewis Hamilton afirmou que foi contratado apenas para pilotar.

“Fui contratado para correr, não para obedecer ordens da equipe”, disse o piloto. “Certamente eu não teria mais chances no campeonato (se obedecesse a ordem). Fiz isso para me manter vivo. As próximas corridas iremos ver como as coisas irão se comportar”, completou.

A Mercedes por sua vez, através de seu dirigente, Toto Wolf ,explicou no site oficial da equipe, toda a ideia planejada e minimizou o ato de Hamilton. E ainda se disse confortável com a decisão do inglês.

“Quando o Safety Car saiu, decidimos  dividir as estratégias com o objetivo de criar oportunidades de vitória ou, no pior caso, de pódio. Quando fizemos isso, Nico estava duas posições na frente de Lewis. Colocamos Nico em uma agressiva estratégia de três paradas, e Lewis em uma estratégia de duas, com uma última perna longa de pneus macios. Isso significou que os dois se encontrariam na pista em algum momento e poderíamos ter uma situação para administrar. Lewis foi solicitado a deixar Nico passar na pista em algum momento e poderíamos ter uma situação para administrar. Lewis foi solicitado a deixar Nico passar porque achamos que ambos tinham chance de vitória com essas estratégias. Mas Nico nunca chegou a estar próximo o suficiente de Lewis para fazer a manobra. No fim, estamos confortáveis  com a decisão dele de manter a posição.”

Hamilton após a corrida afirmou que ficou chocado com o pedido, já que Rosberg não estava próximo o suficiente. Lembrando que um caso semelhante já aconteceu com Barrichello na época de Ferrari, e com o Felipe Massa na própria equipe vermelha e também neste ano, na Willians.

 



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.