GP da Hungria: Rosberg largando na pole; Massa larga em 6º

Hungria

O circuito de Hungaroring tem a fama de ser uma pista travada, com poucas ultrapassagens. Lewis Hamilton terá que quebrar essa escrita para ir para o recesso da Formula 1, se quiser manter uma distância pequena para seu companheiro, Nico Rosberg.

LEIA MAIS
Globo deixa áudio de Galvão vazar na F-1: ‘Eu não sei parar de falar’

O treino na pista da Hungria foi surpreendente, com o tão esperado domínio da Mercedes, a incrível queda de dois campeões mundiais em pleno Q1 – Hamilton e Raikkonen – e o crescimento cada vez mais destacado de dois jovens pilotos.

Q1: Hamilton abandona e Raikkonen é eliminado por Bianchi

O Q1 começou como esperado, com o domínio de Rosberg e de… Bem, aí nós temos que consertar a frase, pois Lewis Hamilton abandonou o treino. Depois de bater em Hochenheimring, o carro do inglês pegou fogo na entrada dos boxes. Não havia nada a fazer: Hamilton largaria no pelotão de trás pela segunda vez consecutiva; na Alemanha largou em 16º; agora largaria em 21º, ficando somente atrás de Pastor Maldonado, que também abandonou com problemas no motor. Posteriormente, com os problemas de Kevin Magnussen, que larga dos pits, Hamilton subiu para a 20º colocação.

Já próximo do final do treino, a Ferrari estava tranquila, pois via uma improvável chance de Kimi Raikkonen não passar para o Q2, pois somente os carros das duas equipes menores estavam atrás dele, além dos já citados Hamilton e Maldonado.

Só não contava com o talento de uma revelação que veio justamente da Ferrari. O francês Jules Bianchi conseguiu, na última tentativa, passar Raikkonen no Q1. Assim, Raikkonen se juntou a Hamilton em um (mais do que) improvável grupo de eliminados no Q1.

Q2: Red Bull cresce e Hulkenberg também é destaque

Na segunda parte do treino, vimos um cenário de pole-position aparecendo para um tranquilo Nico Rosberg, pois estava sem a concorrência de seu companheiro de equipe.

A Williams estava avançando tranquilamente, com Valtteri Bottas comandando a equipe, e deixando Felipe Massa quase 1s atrás. Outro grande destaque foi a Red Bull, com Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel chegando ao Q3, sem maiores problemas.

Para a Ferrari, após a tragédia com Kimi (que já demonstra sinais de desgaste entre o piloto e a equipe), restava conquistar uma boa colocação para Fernando Alonso. Essa será uma noite cheia de discussões para os italianos.

Já entre os eliminados, não houveram tantas surpresas, com Adrian Sutil sendo novamente derrotado pelo companheiro Nico Hulkenberg, que avançou com uma instável Force India.

Jules Bianchi, já destacado por eliminar Kimi no Q1, acabou ficando em 15º, sem muitas preocupações com resultados. Os pits da Marussia terão muita festa, graças ao surpreendente resultado dele.

Q3: Massa perde duramente de Bottas, enquanto Rosberg comanda uma ‘flecha de prata’ de outro planeta

Na parte final da classificação, nós vimos Nico Rosberg dominar o Q3, e terminar na pole-position com uma incrível vantagem de meio segundo sobre o segundo colocado, o alemão Sebastian Vettel.

Segundo lugar muito bom para Vettel, que precisava de resultados convincentes para não se colocar no papel (mesmo que, de maneira não-oficial) de ‘segundo piloto’, coisa que Felipe Massa não conseguiu. Muito pelo contrário; já demonstra sinais de que, realmente ele vai assumir este posto na Williams.

Massa ficou quase 1s atrás de seu companheiro de equipe, e larga somente na 6ª colocação. Um resultado muito decepcionante em um circuito e em uma data que não remetem boas lembranças para ele. Nesta última sexta-feira, se completaram cinco anos do acidente de Massa, logo após ser atingido por uma mola do parceiro – na época, da Brawn – Rubens Barrichello.

Se a mola que acertou Massa acertou bem mais do que a cabeça dele, só veremos na corrida de amanhã, mas Massa precisa de uma recuperação após uma série de acidentes que o fazem se credenciar, juntamente com Kimi Raikkonen como ‘desastre do ano’.

Enquanto Massa cai, Valtteri Bottas cresce cada vez mais. O finlandês demonstrou uma qualidade imensa, um ritmo de treino bastante intenso e mereceu ficar na terceira colocação, a frente de Daniel Ricciardo.

Kevin Magnussen, piloto dinamarquês da McLaren, ficou em 10º, mas como trocou e câmbio e chassi, vai largar dos pits.

O GP da Hungria acontece amanhã, às 9h.

Confira a classificação final do treino para o GP da Hungria de F1:

Q3:

1º Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 1m22s715
2º Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) 1m23s201 +0s486
3º Valtteri Bottas (FIN/Williams-Mercedes) 1m23s354 +0s639
4º Daniel Ricciardo (AUS/RBR-Renault) 1m23s391 +0s676
5º Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 1m23s909 +1s194
6º Felipe Massa (BRA/Williams-Mercedes) 1m24s223 +1s508
7º Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 1m24s294 +1s579
8º Jean-Eric Vergne (FRA/STR-Renault) 1m24s720 +2s005
9º Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) 1m24s775 +2s060

Q2:

10º Daniil Kvyat (RUS/STR-Renault) 1m24s706
11º Adrian Sutil (ALE/Sauber-Ferrari) 1m25s136
12º Sergio Pérez (MEX/Force India-Mercedes) 1m25s211
13º Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 1m25s260
14º Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 1m25s337
15º Jules Bianchi (FRA/Marussia-Ferrari) 1m27s419

Q1:

16º Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) 1m26s792
17º Kamui Kobayashi (JAP/Caterham-Renault) 1m27s139
18º Max Chilton (ING/Marussia-Ferrari) 1m27s819
19º Marcus Ericsson (SUE/Caterham-Renault) 1m28s643
20º Lewis Hamilton (ING/Mercedes) sem tempo
21º Pastor Maldonado (VEN/Lotus-Renault) sem tempo

Larga dos pits:

Kevin Magnussen (DIN/McLaren-Mercedes)



Jornalista de 27 anos, com passagens em diversos sites como UOL Esporte, Trivela, Fanáticos por Futebol, Doentes por Futebol e revistas como IstoÉ 2016, além de passagem pela web rádio Premium Esportes.