Conheça Matt Brown, o lutador que nocauteou a heroína

Matt Brown

O americano Matt Brown, que encabeça a luta principal do UFC deste sábado (26) contra o compatriota Robbie Lawler em San José, nos EUA, já pode ser considerado um lutador vitorioso na vida. Independentemente de cartel ou cinturão, o atleta de 33 anos pode comemorar o fato de ter se livrado das drogas.

Brown não é conhecido como “Imortal” somente pelo queixo de pedra. Ele é um ex-dependente de heroína. Aos 20 anos, antes de iniciar a carreira do MMA, ele teve problemas com drogas e álcool e chegou a morar de favor na casa de amigos.

DESTAQUES
Confira nocaute incrível em apenas 5 segundos
Top 10: Nocautes do MMA
Top 10: Veja as melhores finalizações do UFC

“Em um determinado momento, eu fui muito longe. Tive uma overdose de heroína e fui parar no hospital. De acordo com os médicos, eu estava clinicamente morto há cerca de um minuto. Eu não acho que alguém poderia ter passado pelo que eu passei e estar aqui onde estou agora”, contou ele ao UFC. “Naquela época, quando eu era viciado em drogas e ia para festas o tempo todo, tudo o que eu fazia era chegar ao limite extremo. Hoje eu tento levar algo positivo ao extremo. Ainda sou a mesma pessoa, só tento direcionar essa energia de uma forma positiva”, disse o “Imortal”, dono de um cartel com 21 vitórias e 11 derrotas.

O início no mundo das lutas aconteceu em 2005. O início foi sem nenhum treinamento específico nem treinos. Mas ele se deu bem e continuou competindo. Até que uma derrota o fez perceber que ele precisava trabalhar mais sério.

“Assinei para competir assim que cheguei no local. Nunca tinha treinado na vida, mas venci e continuei vencendo nas lutas seguintes, até que, finalmente, apanhei muito em um duelo que eu perdi feio. Isso me ensinou que eu precisava treinar em uma academia. Naquela época, eu achava que estava fazendo o meu trabalho direito, mas quando fui para a academia, foi lá que realmente entendi o que era MMA e o que era lutar”, lembrou ele ao “Combate.com”.

Três anos depois ele era escolhido para participar do “The Ultimate Fighter” nos Estados Unidos. Desde então, Brown fez 17 lutas pelo UFC, com 12 vitórias.

Para quem já nocauteou até a heroína, superar adversários não é nada de outro mundo.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.