Como ficará o São Paulo em campo com a estreia de Kaká

A tão esperada hora de Kaká reestrear com a camisa do São Paulo está próxima. Após melhorar fisicamente e acertar pendências contratuais com o Orlando City, seu futuro time, o meia deve começar a partida diante do Goiás, no estádio Serra Dourada, domingo, às 16h, pelo Campeonato Brasileiro.

Para conseguir encaixar o craque no atual sistema tático: 4-2-3-1, o técnico Muricy Ramalho precisou alterar outras funções em campo. Primeiro, para Kaká entrar, Osvaldo saiu.

O atacante, aberto sempre pela esquerda, gosta do drible, velocidade e ajuda muito na recomposição, acompanhando o lateral e ajudando o meio-campo. Do outro lado, Ademilson, que parece ter ganho realmente a confiança do treinador, busca aperfeiçoar estas características. Pato, renegado no time titular, não joga exatamente por este motivo: participa pouco da marcação.

Com a entrada de Kaká, obviamente a equipe ganhará qualidade técnica, experiência, leitura de jogo bem acima da média no futebol brasileiro, mas perderá exatamente na hora do combate. Vale lembrar que o São Paulo tem um dos melhores ataques e uma das piores defesas da competição.

Sendo assim, qual a solução para Muricy? Reforçar a linha de trás. Se Ademilson, Ganso e Kaká ajudarão na marcação, mas talvez de forma não tão qualitativa, o pensamento foi buscar ajuda um pouco antes. Maicon deve sair do time para a entrada do até então zagueiro Rodrigo Caio, como primeiro volante. Maicon, ótimo no passe e movimentação, peca nos desarmes e posicionamento defensivo.

Com Rodrigo Caio à frente da zaga, o sistema ganha um cão de guarda. Souza, por sua vez, poderá atacar mais, trocar passes no ataque e finalizar. Ao lado de Antonio Carlos, na zaga, estará Rafael Tolói, outro que reestreia.

Se algumas coisas tendem a melhorar, outras podem piorar. A saída de bola do Tricolor perde força e pode mudar a característica do time sempre ter a bola no chão em busca de jogadas. O São Paulo é um dos melhores times em passes no campeonato.

O tempo de treinamento para encaixar Kaká e obter a volta de Rodrigo Caio ao meio-campo ainda é ineficaz, mas a qualidade do primeiro pode surtir real efeito na hora do jogo. Ainda mais com a pobreza técnica no atual cenário canarinho. É esperar para ver…